Eduardo Barroca é da escola de valorizar a posse de bola. Sem ser segredo para ninguém, o treinador do Botafogo busca, acima de tudo, ter o controle do jogo através da bola no pé dos jogadores da própria equipe, características de suas equipes desde a base do Alvinegro. O próprio técnico, porém, já mostrou possui planos alternativos caso este estilo de jogo não funcione.

A posse de bola é o plano A de Eduardo Barroca, mas a adaptabilidade é algo acima de qualquer planejamento. O Botafogo é um time que, justamente por conta de tal estilo de jogo, pode encontrar dificuldade em algumas situações, mas o treinador mostrou, nesse começo de Campeonato Brasileiro, que pode mexer na equipe durante as partidas e sem fazer nenhum tipo de alteração.

Apesar de ser a quarta equipe com maior média de posse de bola até aqui no Campeonato Brasileiro – cerca de 55,5% -, o Botafogo de Barroca também sabe jogar sem o controle da jogada, apostando em contra-ataques. Tal cenário pôde ser visto na vitória sobre o Vasco, já que o gol de Diego Souza surge em uma rápida trama montada após um roubo de bola no meio-campo.

Eduardo Barroca é da escola de valorizar a posse de bola. Sem ser segredo para ninguém, o treinador do Botafogo busca, acima de tudo, ter o controle do jogo através da bola no pé dos jogadores da própria equipe, características de suas equipes desde a base do Alvinegro. O próprio técnico, porém, já mostrou possui planos alternativos caso este estilo de jogo não funcione.

A posse de bola é o plano A de Eduardo Barroca, mas a adaptabilidade é algo acima de qualquer planejamento. O Botafogo é um time que, justamente por conta de tal estilo de jogo, pode encontrar dificuldade em algumas situações, mas o treinador mostrou, nesse começo de Campeonato Brasileiro, que pode mexer na equipe durante as partidas e sem fazer nenhum tipo de alteração.

Apesar de ser a quarta equipe com maior média de posse de bola até aqui no Campeonato Brasileiro – cerca de 55,5% -, o Botafogo de Barroca também sabe jogar sem o controle da jogada, apostando em contra-ataques. Tal cenário pôde ser visto na vitória sobre o Vasco, já que o gol de Diego Souza surge em uma rápida trama montada após um roubo de bola no meio-campo.

Fonte: Terra