Um suposto erro administrativo poderá causar o rebaixamento do Barra Mansa para a Série B do Campeonato Estadual. Isso porque o Nova Iguaçu entrou no Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD-RJ) com uma notícia de infração, com a denúncia de que o clube do Sul Fluminense escalou dois jogadores sem que os mesmos estivessem aptos a disputar o torneio regional. Caso a procuradoria acolha a denúncia e julgue o caso, o Barra Mansa poderá perder até 25 pontos na competição.

Pela alegação do clube da Baixada Fluminense, o atleta Rômulo Elias da Silva assinou a súmula em seis partidas, mas, na lista de inscritos enviada à Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj), a data de inscrição (4 de março) de Rômulo é posterior aos seis jogos disputados. Assim, a condenação poderia render ao Barra Mansa a perda de 18 pontos pelas escalações e mais quatro referentes aos pontos ganhos nas seis partidas em que atuou.

E a situação ainda pode piorar caso a procuradoria também acolha a denúncia de que o jogador Wesley Pereira da Silva atuou de forma irregular. No duelo diante do Volta Redonda, Wesley ficou na banco de reservas, mas seu nome sequer aparece na relação de inscritos enviada pelo clube. Pelo Código Brasileiro de Justiça Desportiva, a infração, se condenada, resultará em menos três pontos, totalizando 25 a menos na tabela. Hoje, o Barra Mansa soma sete pontos na classificação.

Pelas informações contidas no Boletim Interno de Registro de Atletas (Bira) da Ferj, ambos aparecem com contrato em vigor, mas a argumentação do Nova Iguaçu se baseia no fato de que os possíveis erros na lista de jogadores inscritos no Estadual já são suficientes para incriminar o adversário.

— Estamos amparados pelo regulamento, tenho certeza de que a procuradoria vai acolher a denúncia — garantiu Luiz Eduardo Barbosa, advogado do Nova Iguaçu.

A notícia foi recebida com desconfiança no Barra Mansa. Segundo Marco Antônio Merica, gerente de futebol do clube, a tentativa do rival não tira o sono do Leão do Sul:

— Estamos aguardando ainda, pois não há nada oficial. Mas não creio que vá dar em nada, deve estar havendo algum engano nisso aí.

Procurador-geral do TJD, André Luiz Valentim limitou-se a dizer que designará o caso para a apreciação de algum procurador. Sobre a consistência dos fatos, Valentim preferiu não opinar até que tenha maiores informações .

Já a Ferj afirmou que vai fornecer ao Tribunal os subsídios necessários para que todo o imbróglio seja esclarecido o quanto antes.

— Nós vamos acompanhar e disponibilizar todas as informações solicitadas pelo Tribunal — assegurou Marcelo Vianna, diretor de Competições da entidade.

Com três pontos, o Nova Iguaçu é o lanterna do Campeonato Estadual. Com a manobra nos bastidores, o clube tenta minimizar o drama na corrida contra o rebaixamento para a Série B.

Fonte: Extra Online