Aguirre foi contratado pelo Botafogo principalmente por causa do apelo da torcida. Até agora, porém, o atacante marcou apenas um gol em 21 jogos (somente sete como titular). E o uruguaio parece estar cada vez mais longe de ajudar a equipe. Já se vão três jogos sem entrar em campo, o que motivou uma publicação recente dele no Instagram.

O atleta de 24 anos postou, na última segunda-feira, uma foto do gol que marcou contra o Sport e escreveu “Que saudade”. Desde aquele feito, em 25 de agosto, a presença dele na equipe só fez diminuir. Nos cinco jogos seguintes, seguiu entrando em campo para, em média, 15 minutos. Mas a partir de então, são seis jogos praticamente sem jogar.

Entrou em campo somente contra o Bahia, pela Copa Sul-Americana – e cobrou um dos pênaltis da disputa. Contudo, foi uma solitária participação nas últimas seis partidas em que esteve à disposição. Nos últimos três jogos, não saiu do banco. É o pior momento do antes valorizado atacante.

– É um grande jogador e uma grande pessoa que se adaptou bem ao clube e ao nosso ambiente. Ele está com saudade de jogar e querendo mostrar a que veio. Às vezes passamos por fases que não gostaríamos. É normal do jogador, e esperamos que ele possa voltar a nos ajudar e a viver grandes momentos na carreira dele – torce Kieza.

Não há uma relação direta entre o mau momento do Botafogo e a baixa utilização de Aguirre. A participação, apesar de algumas oportunidades com Zé Ricardo, não chegou a ser tão efetiva para o Botafogo. Emprestado pela Udinese até junho do ano que vem, ele tem a concorrência de Brenner e Kieza, que também não são unanimidades, mas têm números melhores.

Kieza, atual titular do comando de ataque, soma dez gols em 37 jogos pelo Glorioso; Brenner, contratado no ano passado por empréstimo junto ao Internacional, tem 14 gols marcados em 57 aparições. Já o uruguaio tem duas expulsões e somente uma bola na rede nas 21 vezes em que esteve em campo.

Fonte: Terra