Eliminado da Taça Guanabara com uma rodada de antecedência, o Botafogo foi à Bacaxá visitar o Boavista, neste domingo, em busca da primeira vitória na temporada. Pressionado e de olho no Defensa y Justicia, pela Sul-Americana, na quarta, Zé Ricardo optou por mudanças e foi feliz nos testes: a sua equipe venceu por 3 a 0, com gols de Gustavo Ferrareis, Erik e Jonathan.

Além da goleada, construída todas com gols no primeiro tempo, o duelo no Estádio Elcyr Resende de Mendonça serviu para sublinharmos a atuação convincente do Alvinegro. O LANCE! lista cinco fatores positivos nesta tarde.

VOLTA DE CARLI

Titular da equipe, Carli só teve a oportunidade de estrear em 2019 neste domingo. O zagueiro de 32 anos voltou a sofrer com uma fadiga na panturrilha – um problema que vem lhe assolando nas últimas pré-temporadas. Atuou ao lado de Gabriel e retornou em grande estilo: mostrou segurança e fez a sua bola longa colaborar diretamente em dos gols na vitória. Será muito importante na quarta-feira, quando o Botafogo enfrenta o Defensa, de seu país.

GAROTOS BEM NAS LATERAIS

Ciente da necessidade de rodar o enxuto elenco, Zé Ricardo optou por Rickson na lateral direita. O jovem da base foi um improviso, uma vez que é volante de origem, porém fez bem o seu “feijão com arroz no ataque”, deu conta do recado e não sofreu com as investidas do veloz ataque do Boavista.

Já na lateral esquerda, Jonathan iniciou como titular e voltou a apresentar um futebol de gente grande. Além de trazer profundidade, o garoto, que havia estreado contra o Flamengo, participou do gol inaugural e ainda marcou o terceiro da partida, em um contra-ataque de almanaque. Jonathan pede passagem, ainda mais com a enorme pressão em cima de Gilson.

GOL DE REFORÇO

Dos quatro reforços para 2019, sem levar em conta as manutenções de Jean e Erik, Gustavo Ferrareis é quem tinha menos minutos dos jogadores de linha. O meia-atacante emprestado pelo Internacional, que já tinha entrado bem na derrota para o Resende, iniciou como titular e saiu de campo muito aplaudido.

Isso porque, Ferrareis foi responsável por fazer – bem – duas funções em campo: começou como articulador, justificando a camisa 10 às costas, e assim abriu a vitória. Depois passou a flutuar pelas pontas. Cansou na etapa final.

ATAQUE ENVOLVENTE

Na onda de testes com os mais jovens, Zé Ricardo também modificou o seu ataque. Optou por Erik mais centralizado, por trás de Kieza – assim como fizera em alguns jogos com Brenner, em 2018. Como já citado, Ferrareis fez o carrossel ofensivo girar, com Rodrigo Pimpão sendo decisivo em lances pontuais. O camisa 7 deu duas assistências e, enquanto teve fôlego, provou que pode ser importante na quarta – ainda mais que a sua estrela costuma brilhar em partidas internacionais.

A movimentação ofensiva funcionou, sobretudo na etapa inicial, quando Alex Santana teve condições físicas de colaborar na transição veloz.

CONFIANÇA RENOVADA PARA QUARTA

Se não valia nada para a Taça Guanabara, a vitória foi importante para o Botafogo dar um salto na classificação, agora com quatro pontos somados, e também cativar o torcedor a respeito do jogo desta quarta, contra o Defensa Y Justicia. Os ingressos para o jogo no Nilton Santos, a ser realizado às 21h30 (de Brasília), custam de R$ 20 a R$ 60.

A expectativa é que haja uma mobilização turbinada após a vitória convincente deste domingo, em Bacaxá. Os botafoguenses no Niltão serão fundamentais para empurrar o time de Zé Ricardo, a enfrentar os gringos co-líderes do Argentino e invictos na temporada.

Fonte: Terra