Internamente, o Botafogo sonha com uma vaga na Libertadores. Em diversas entrevistas coletivas, Eduardo Barroca não escondeu que um dos objetivos para a segunda metade da temporada é garantir um lugar do G6. O problema, porém, é que o Glorioso, até aqui, tem um aproveitamento ruim diante de times que estão na parte de cima da tabela – e, teoricamente, também estão ‘no bolo’ da competição continental do ano que vem.

Até aqui, o Botafogo, nono colocado, tem sete derrotas no Campeonato Brasileiro. Seis destas foram para equipes que ocupam uma posição maior que a do Glorioso na tabela. Ou seja, o clube de General Severiano encontra certa dificuldade para conquistar um resultado positivo diante de equipes que lutam por título ou sonham com a Libertadores.

O Botafogo enfrentou sete das oito equipes que estão em uma posição maior que a sua – apenas o Internacional, na sétima colocação, ainda não mediu forças com o Alvinegro. O retrospecto é negativo: uma vitória e seis derrotas, com quatro gols marcados e onze sofridos.

A única vitória do Glorioso nesta sequência foi contra o Athletico Paranaense, na 14ª rodada. Na ocasião, a equipe de Eduardo Barroca venceu por 2 a 1, com gols de Luiz Fernando e Diego Souza. Os outros seis triunfos do Botafogo na competição foram diante de equipes de menor posição.

É claro que existe um mérito em toda essa conversa. Se, atualmente, o Botafogo está longe da zona de rebaixamento – são 10 pontos de distância para o Fluminense, 17º colocado – é muito por conta dos bons resultados conquistados contra as equipes da metade de baixo da classificação. O alerta fica ligado, portanto, diante do desempenho contra times que passam por boa fase técnica.

O orçamento do Botafogo, é preciso dizer, é um dos menores do Brasileirão. A falta de opções no elenco é uma consequência da crise financeira vivida longe das quatro linhas. Diante do top-8 do Brasileirão, o Alvinegro tem apenas 14,2% de aproveitamento. Quando o duelo é contra equipes que estão abaixo, este número é de 79,1% – duas vitórias, um empate e uma derrota em oito jogos.

O campeonato do Botafogo é de extremos. Por mais que não tenha atuações convincentes sempre, consegue vencer equipes da metade de baixo. Quando o rival está na primeira metade da classificação, porém, o desempenho é ruim. Eduardo Barroca, portanto, precisa buscar um equilíbrio entre as atuações.

Jogos do Botafogo contra o top-8 do Brasileirão
São Paulo 2 x 0 Botafogo
Botafogo 0 x 1 Palmeiras
Botafogo 0 x 1 Grêmio
Botafogo 0 x 1 Santos
Flamengo 3 x 2 Botafogo
Botafogo 2 x 0 Athletico Paranaense
Corinthians 2 x 0 Botafogo

Fonte: Terra