Aos 44 anos, Alex Escobar é dono de uma carreira para lá de invejável no esporte. Comentarista, narrador esportivo e apresentador de TV, Escobar chegou a atuar até como comissário de voo. Um dos convidados do Tamanho Família do último sábado, 22/6, Alex confessa uma curiosidade que poucos sabiam: antes de torcer pelo America, ele era Botafogo. Dá para acreditar? Em ida ao estádio com Antônio, pai e botafoguense, o comentarista “virou a casaca”. “Achei o America mais bonito. Dia desgraçado da minha vida”, brinca.

“E o melhor amigo do meu pai, Moacir, é America. Meu pai contou para ele. Falou: ‘Pô, fui levar no jogo do Botafogo e ele gostou do America’. O amigo foi na rua, comprou uma camisa e me deu. Aí no meu aniversário já teve um bolo do America, e até hoje estou com esse negócio difícil de levar, que é ser América.”

Como qualquer outro time, o America proporcionou alegrias e tristezas a Escobar. Mas, com um diferencial. Por causa do clube, o comentarista se tornou o apresentador de programa de rádio. Rock Bola, na Rádio Cidade, do Rio de Janeiro.

“O programa tratava de futebol, e tinha um torcedor de cada grande time. E o fato de ser America me ajudou a ser o apresentador do programa, porque eu era imparcial. Esse programa teve uma grande popularidade.”

Quando Escobar estava no Rock Bola, o programa sorteou 10 ouvintes para jogar bola e participar de um churrasco com os integrantes da banda Detonautas. Na hora do almoço, o comentarista avistou um rapaz meio tímido e o chamou para comer com ele.

“Ele começou a me perguntar sobre a minha vida até ali. Contei, e ele me perguntou o que eu queria para a minha vida. Disse que gostava muito de futebol, e que um dia queria trabalhar com futebol mesmo”, conta Escobar.
“Ele puxou um cartão e me deu, e ele era o diretor do Premiere, o pay-per-view do futebol. Ele me arrumou um teste para narrador e comentarista. Passei para comentarista e, assim, fui para a televisão”, relembra.
Fonte: GShow