Sem espaço no Botafogo, o meia Leo Valencia conversa com o Colo-Colo, do Chile, clube do país natal do meia. O atual salário do jogador, porém, é considerado alto pela diretoria chilena e ainda é um entrave nas negociações.

O Alvinegro não recebeu uma proposta oficial até o momento, mas está ciente de que há contato entre as partes. Com contrato até julho de 2020, o chileno tem um dos mais altos vencimentos do elenco, que não corresponde ao número de oportunidades que vem tendo com o técnico Eduardo Barroca.

A diretoria vê com bons olhos uma negociação envolvendo o jogador, uma vez que seria um alívio na folha salarial em meio à grave crise econômica vivida pelo clube. Internamente, há também uma esperança por uma compensação financeira pela negociação do meia, ainda valorizado no Chile. O cenário, no entanto, ainda é considerado complicado.

Após ótima passagem pelo Palestino, Valencia chegou à seleção chilena e atraiu a atenção de gigantes do país, mas preferiu vir para o Brasil atuar pelo Botafogo, justamente em função da alta proposta salarial que recebeu. No Alvinegro, entretanto, nunca deslanchou. Recentemente, o jogador tem acumulado contusões e confusões, como o envolvimento com traficantes da facção “Los Risas”.

No início da temporada, a Universidad do Chile sondou o meia, mas não teve sucesso nas negociações. Agora, o rival Colo-Colo que mostra interesse em Valencia, ainda que um acordo siga distante, de acordo com o gerente esportivo do clube, Marcelo Espina. O jogador não quer reduzir seu salário, e o Bota descarta arcar com parte dos vencimentos.

Em 2019, Leo Valencia disputou 11 jogos e não marcou gols. A última partida do meia como titular foi na derrota por 1 a 0 para o Palmeiras, em 25 de maio, no Mané Garrincha, pelo Campeonato Brasileiro.

Fonte: UOL