Muitas vezes tratados como descartáveis em meio à crise do São Paulo, Diego Souza e Nenê saíram do banco e foram importantes na construção da vitória por 2 a 0 sobre o Bragantino, que quebrou a série de cinco partidas sem vencer e recolocou a equipe na liderança do Grupo D do Paulistão. Diego participou do gol de Pablo e Nenê deu a assistência para o gol de Arboleda.

O São Paulo que Vagner Mancini considera ideal não tem a dupla de veteranos, mas isso não significa que eles não possam ser úteis. Se aceitarem a reserva e entrarem bem como neste domingo, podem convencer a diretoria a continuar recusando investidas de outros clubes – Diego Souza esteve na mira do Sport e agora desperta interesse do Botafogo, enquanto Nenê é cobiçado pelo Fluminense. A temporada da dupla é bem fraca até o momento.

Cuca, que assistiu à partida pela televisão e deve assumir após a participação da equipe no Paulistão, disse em sua apresentação que não decidiria pela saída de nenhum jogador sem dar a ele a chance de se mostrar importante para o grupo. Em contrapartida, o Tricolor pretende reduzir a folha salarial para poder contratar atletas solicitados por seu novo treinador.

Em Bragança Paulista, o time jovem e leve do primeiro tempo não conseguiu ser efetivo como Mancini esperava. Ele voltou a escalar três zagueiros, orientou que os alas ajudassem os homens de frente na marcação à saída de bola do Bragantino, posicionou Hernanes bem próximo a Pablo, com poucas obrigações defensivas, e apostou no fôlego de Antony e Helinho para que eles criassem como meias e ajudassem Luan quando a equipe perdesse a bola.

O São Paulo se posicionou bem. A solidão de Pablo, que tanto incomodou a torcida nos últimos jogos, foi menor. Mas faltou que Hernanes acertasse mais, que Antony e Helinho arriscassem jogadas individuais e principalmente que o restante do time se movimentasse com mais naturalidade na hora da saída de bola dos três zagueiros. Mancini passou o primeiro tempo todo gritando com Léo e Helinho para que eles se comportassem corretamente nessas situações.

Diego Souza entrou no lugar de Bruno Alves no intervalo, desfazendo o esquema com três zagueiros. Hernanes recuou, aproximando-se mais de Luan, e Helinho e Antony passaram a ser efetivamente pontas, buscando jogadas de lado para os dois grandalhões concluírem dentro da área. Pouco depois, Nenê entrou bem no lugar de Helinho e o time deslanchou de vez.

No primeiro gol, Diego Souza escorou uma bola lançada por Tiago Volpi e Nenê estava dentro da área para incomodar a marcação junto com Pablo. Com companhia, Pablo rende muito mais. E foi assim que ele fuzilou o goleiro para abrir o placar. O segundo gol foi de Arboleda, aproveitando um escanteio muito bem batido por Nenê.

O São Paulo continuou criando, com boa movimentação de seus dois veteranos, e ficou mais perto de marcar o terceiro do que de sofrer um gol do Bragantino. O saldo deste domingo, principalmente para a dupla de veteranos, é positivo.

Fonte: Terra