A chegada de Alberto Valentim no Botafogo resultou em algumas alterações no time titular do Botafogo, mas na posição de centroavante a equipe quase nunca teve problema esse ano. Brenner, então titular, vinha de bons números; no entanto, Kieza foi o escolhido pelo novo treinador e também vem dando conta do recado. O aniversariante desta quinta-feira volta a esperar chance.

Neste primeiro de março, o ex-camisa 9 do Glorioso completa 24 anos. Certamente, se perguntado, gostaria de receber de presente iniciar o clássico contra o Flamengo entre os 11. Aquela foi a última partida que ele começou. Desde então, o atual dono da grande área ofensiva marcou dois gols, fora o tento do jogo contra o Rubro-Negro. Três em cinco jogos, no total.

Nos últimos três jogos, três das quatro finalizações foram na direção do gol, e entraram. A fase do ex-jogador do Vitória é boa, inegavelmente.

– O Kieza é parceiro, gente boa. A gente procura estar tirando o feedback. Vamos dar a bola nele, utilizá-lo sempre porque a fase é muito boa. Espero que siga assim – afirma Rodrigo Lindoso, responsável pelo início das jogadas.

Brenner foi contratado no ano passado e tinha em Roger um concorrente difícil de se fazer sombra. A doença do agora jogador do Internacional fez com que ele ganhasse espaço e, ao modo dele, aproveitasse. Nesta temporada, também usufruiu das oportunidades que teve. Chegou a ter três gols em quatro jogos. Mas não tem jeito: contra o Flamengo, Kieza não tem razão de ser sacado.

– Sempre fui de me movimentar bastante, de procurar jogadas e sempre tenho a contribuir com a forma de jogo que ele (Alberto Valentim) quer, priorizando a parte centralizada. Vem dando certo – explica o atual camisa 9 botafoguense.

Fonte: Terra