Antônio Carlos volta ao time e lembra: ‘Não pode ter intriguinha’

Compartilhe:

O zagueiro Antônio Carlos, de 29 anos, terá a chance de realizar a sequência de jogos que tanto esperava desde que se recuperou de uma lesão muscular. Como Dória já está com a seleção brasileira sub-20, ele tem a oportunidade de jogar até, ao menos, a paralisação para a Copa das Confederações. Apesar de ser um dos que mais atuaram pelo Botafogo – 161 jogos, atrás apenas de Jefferson, que atuou em 295 -, ele garante que não ficou triste e declarou que não poderia tumultuar o bom ambiente porque tinha ido para o banco de reservas.

O defensor se machucou no dia 24 de fevereiro e precisou se afastar do time. Ele era o titular da defesa ao lado de Bolívar, mas sua ausência abriu espaço para Dória, de 18 anos, que não havia feito a pré-temporada com a equipe porque estava seleção sub-20. Depois que teve a chance, no entanto, o jovem se destacou e não saiu mais.

– Tenho que respeitar, eu vinha de lesão. Muitos me perguntavam: “E aí, perdeu a posição?”. Mas isso não tem nada a ver, eles estavam em um bom momento, e eu ainda precisava de ritmo novamente. Agora estou tendo a oportunidade. Nunca iria tumultuar um ambiente que estava bom porque eu não estava jogando, seria falta de respeito. Cabe a mim agora jogar bem e mexer com a cabeça do treinador. Claro que não fiquei triste, acho que todos têm que pensar assim para sermos fortes para disputa do Brasileiro. Não pode ficar de intriguinha, senão vai para o buraco – afirmou o defensor.

Antônio Carlos acredita que a defesa do Bota tem várias boas opções para o técnico Oswaldo de Oliveira, e que, desta forma, quem sai fortalecido é o time.

– O Dória estava no banco e não reclamou. Tinha terminado o ano passado bem, e o Bolívar chegou muito bem, fazendo gols. É uma posição que tem outros bons jogadores, como o André Bahia. É bom para o Oswaldo e para o time, que se fortalece.

O zagueiro é um dos líderes do elenco, e acredita que a união é um dos segredos para o sucesso do Bota. Ele chegou a ter uma discussão com Seedorf no vestiário durante o intervalo do jogo contra o Resende – o time perdia por 2 a 0 e acabou virando para 4 a 2 -, mas resolveu o problema e comemorou o título carioca abraçado com o holandês. Antônio Carlos espera que o bom ambiente continue para que a equipe possa ter mais conquistas.

– O grupo sempre trabalhou desta forma, independentemente de qualquer problema que teve. Não estamos nos preocupando com isso, todos têm um nome a zelar e precisam de títulos de importância. A conquista do Carioca nos deu confiança e uma tranquilidade maior. Também temos a Copa do Brasil pela frente, que será bem difícil com a entrada dos times que estão na Libertadores.

O Botafogo volta a campo na quarta-feira, às 22h (de Brasília), em Volta Redonda, para enfrentar o CRB, pela segunda fase da Copa do Brasil. No jogo de ida, em Maceió, houve empate em 0 a 0. Um novo 0 a 0 leva a disputa para os pênaltis, e empate com gols favorece os alagoanos.

Fonte: Globoesporte.com

Comentários