Representantes de Flamengo, Vasco, Fluminense e Botafogo se reuniram nesta terça-feira com a Ferj (Federação de Futebol do Rio de Janeiro) para discutir a decisão arbitral de ter preços populares no Campeonato Carioca. Nem mesmo uma nota oficial publicada pelo Tricolor durante o encontro, o que gerou grande mal-estar, mudou o rumo das conversas: as entradas serão mais baratas que nas edições anteriores.

O documento do clube das Laranjeiras foi entregue ao presidente da Ferj, Rubens Lopes, durante o encontro e o mesmo fez questão de ler o conteúdo em voz alta.

O tom irônico logo levantou a polêmica e um possível entendimento foi encerrado, de acordo com o presidente do Vasco, Eurico Miranda.

“As coisas poderiam se encaminhar desde que houvesse uma retratação do consórcio, mas aí culminou com essa nota e ficou ratificada toda a posição do arbitral”, declarou o dirigente.

Presidente do Botafogo, Carlos Eduardo Pereira também desaprovou a nota oficial:

“Realmente quando tomamos conhecimento, causou surpresa até mesmo no representante do Fluminense (o vice-jurídico Carlos Eduardo Cardozo, já que o presidente Peter Siemsen está nos EUA). Nós, do Botafogo, interpretamos como uma nota que não foi feliz”.

O vice-jurídico do Tricolor, por sua vez, não entrou em maiores detalhes e garantiu que o clube aceitará as determinações:

“O Fluminense vai acatar as determinações do conselho arbitral. Sobre as questões de preço e consórcio, a nota já diz a posição do clube”.

Já o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, foi na mesma linha, mas ressaltou ainda manter uma esperança de diálogo:

“O Flamengo mantém esperança de que haja entendimento e as medidas sejam revertidas. Senti uma ressonância muito boa nos clube chamados pequenos. Nas condições que estão agora, o Flamengo calcula que terá em torno de R$ 3 milhões de prejuízo. Este prejuízo, nesse momento que a gente tenta recuperar o clube e pagar as contas em dia, é extremamente desalentador”.

Responsável por sugerir os preços populares de ingresso, Eurico Miranda alfinetou o Rubro-Negro.

“Eu sou contra esse processo de elitização do futebol. Falam que o futebol é do povo, mas o clube que se diz do povo, que é o Flamengo, quer jogar com o preço lá em cima. Tem o pessoal que comenta que se quer fazer estádio com pólo gastronômico, mas o cara não tem dinheiro nem para comprar o ingresso, ainda vai ter pólo gastronômico? Você não pode ter três partidas no mês e cobrar 80 reais em cada uma delas para torcedor”.

Flamengo, Fluminense e consórcio do Maracanã eram contra os preços estabelecidos pois alegavam que terão prejuízo, principalmente em função dos planos de sócios-torcedores dos clubes.

Ferj e Vasco cobram retratação do Consórcio Maracanã

Após a reunião, Vasco e Ferj se manifestaram sobre toda a polêmica. E a dupla tem um pensamento em comum: exigem que o Consórcio Maracanã publique nota oficial se desculpando pela postura adotada.

Os preços seguem da seguinte forma:

Maracanã:

– Jogos entre clubes grandes e pequenos: R$ 40 (inteira) e 20 (meia) cadeiras atrás dos gols (setores Norte e Sul); R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia) cadeiras centrais – Leste e Oeste (exceto Maracanã Mais).

– Clássicos: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia) setores Norte e Sul; R$ 100 (inteira) e R$ 50 (meia) setores Leste e Oeste (exceto Maracanã Mais).

– Jogos das 22h: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) setores Norte e Sul; R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia) setores Leste e Oeste.

Engenhão:

– Jogos entre grandes e pequenos: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia) setores atrás dos gols (Norte e Sul); R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia) setores centrais (Leste e Oeste).

– Clássicos: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia) setores Norte e Sul; R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia) setores Leste e Oeste.

– Jogos das 22h: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) setores Norte e Sul; R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia) setores Leste e Oeste.

São Januário:

Arquibancadas serão R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia); Cadeira social R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia).

Raulino de Oliveira e Édson Passos:

– Jogos de pequenos contra pequenos: arquibancadas R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia); Cadeira especial R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia).

– Jogos de pequenos contra grandes: arquibancadas R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia); Cadeiras especiais R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia).

– Jogos das 22h: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Cadeiras especiais R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia).

Moça Bonita, Moacyrzão e Eduardo Guinle:

– Jogos de pequenos contra pequenos: arquibancadas R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

– Jogos de pequenos contra os grandes: arquibancadas R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia).

– Jogos das 22h: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

Demais Estádios:

Arquibancada R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

Ficou determinado que nos jogos entre clubes pequenos, as agremiações mandantes podem optar por cobrarem ainda ingressos mais baratos para atraírem o torcedor: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).

Fonte: UOL