Sem Vitinho, Botafogo tenta se reinventar em campo de novo

Compartilhe:

A saída de Vitinho, que acertou sua ida para o CSKA, da Rússia, será mais uma grande prova de fogo para o Botafogo, que luta para não não ver seu rendimento cair e se manter na briga pelos títulos da Copa do Brasil e Brasileirão. Conquistas que poderiam fazer de 2013, que já tem taça a do Carioca, um “ano especial”, como Seedorf gosta de falar em suas entrevistas.

Com um esquema de jogo montado desde a temporada passada, no início do ano o time já perdeu um jogador de destaque, o lateral-esquerdo Márcio Azevedo, mas a contratação de Julio Cesar supriu a carência. O baque que se imaginava ser o mais complicado veio no início do Brasileiro, com as saídas de Fellype Gabriel, Andrezinho e Jadson.

Em uma grave crise financeira, acentuada por causa da interdição do Engenhão, o clube não conseguiu contratar reforços de peso e apostou em nomes como o zagueiro Dankler e o atacante Elias. A grande lamentação do técnico Oswaldo de Oliveira era perder Fellype Gabriel, considerado por ele o melhor jogador do elenco no ponto de vista tático. E foi justamente neste espaço vazio que Vitinho teve sua ascensão meteórica.

O meia, de 19 anos, até então era uma peça no banco de reservas, e chegou a ser vaiado por parte da torcida. Com a sequência de jogos, cresceu e, com belos dribles, chutes fortes e gols, se tornou xodó dos alvinegros. O bom desempenho atraiu a cobiça de outros clubes, e a revelação deu adeus.

vitinho embarque rússia (Foto: Caue Rademaker)
Saída de Vitinho deixa uma lacuna no time do Botafogo (Foto: Caue Rademaker)

Agora, Oswaldo de Oliveira terá que tentar encaixar novamente sua equipe e não tem dado indícios de que poderá mexer no esquema tático. Alex, que deve titular contra o Galo nesta quarta-feira, e Elias, são candidatos ao posto de titular. Neste caso, Rafael Marques é quem atua mais recuado e deixa a função de centroavante. Gegê, revelado na base, é visto com bons olhos dentro do clubes e muitos apostam em seu sucesso. Outro pouco conhecido da torcida que poderá ter oportunidades no futuro é o atacante Hyuri, que se destacou no Audax no Carioca e foi contratado, mas ainda está em fase de adaptação ao clube.

No meio de tudo isto, o elenco do Botafogo tenta deixar o clima externo de pessimismo de lado para não perder o rumo. A ordem é confiar nos jogadores que já fazem parte do elenco. Mais uma vez.

– Temos totais condições de suprir a ausência dele com os jogadores que temos. Assim como ele supriu a do Fellype Gabriel quando ele saiu. Tem muita gente falando que o Botafogo vai enfraquecer muito, e eu penso ao contrário. Acho que vamos demonstrar mais uma vez que temos elenco. Vamos provar isso – afirmou o lateral-esquerdo Julio Cesar.

Nesta quarta-feira o time tem a missão de avançar na Copa do Brasil e deixar o clima mais ameno. Depois de bater o Atlético-MG por 4 a 2 no jogo de ida, no Maracanã, o Botafogo encara o Galo no Independência.



Fonte: Globoesporte.com
Comentários