Contratado para ser o principal atacante do Botafogo da temporada, o uruguaio Aguirre tem decepcionado desde que estreou com a camisa alvinegra. O jogador já foi expulso duas vezes no Campeonato Brasileiro, sendo a última no sábado, na derrota para o Flamengo. O técnico Marcos Paquetá não quis criticar o atleta, mas afirmou que seu comandado precisa ter mais controle durante os jogos.

“O Aguirre é agressivo por natureza. Joga um futebol de força, de trombada e luta. Talvez aqui não estejamos acostumados com isso. O campeonato na Itália é pesado. Esse tipo de falta não é nem para falta ou para amarelo lá e aqui foi vermelho. Ele tem que ter um controle emocional maior. Temos que controlar essa ansiedade. É mais para cima do que para baixo. Ele tem que estar mais para o meio para terminar o jogo bem”, avaliou.

O gerente de futebol Anderson Barros também falou sobre Aguirre e comentou as expulsões. O dirigente pediu que a torcida apoie o uruguaio nos jogos.

“Contra o Corinthians, acho que quando ele tomou o amarelo já poderia ter recebido o vermelho. Contra o Flamengo, acredito que poderia ter tomado só amarelo. O mais importante é que precisamos entender que Aguirre é um jovem, tem só 23 anos, está se dedicando. Não está conseguindo render, mas acho que precisamos de um pouco de equilíbrio para entender o momento. Sabemos que ele tem alguma qualidade e podemos tirar dele o melhor. Foi um investimento que o clube fez e precisamos tirar o retorno dele”, declarou.

Além de Aguirre, o técnico Marcos Paquetá não terá o meia Luiz Fernando e o goleiro Jéfferson nesta quinta-feira, quando o Botafogo recebe a Chapecoense, no Nilton Santos, pelo Campeonato Brasileiro. Luiz Fernando recebeu o terceiro cartão amarelo, enquanto Jéfferson segue em observação no hospital após se chocar com Lucas Paquetá no clássico.

Fonte: Terra