Eduardo Barroca chegou ao Botafogo com o objetivo de conquistar resultados a curto prazo. Em partes, tal marca foi alcançada: o Alvinegro foi para a parada da Copa América ocupando a sétima colocação do Campeonato Brasileiro, com 15 pontos conquistados em nove rodadas disputadas. Com o início do torneio internacional, o treinador vai em busca do seu segundo propósito: evoluir o desempenho e a parte física.

Desde a última segunda-feira, o Botafogo treina com a maioria os jogadores do elenco com o intuito de chegar à evolução do conjunto. Em alguns dias dessa semana, a atividade foi realizada em período integral, com treinos de manhã e de tarde. Anderson Gomes, preparador físico que chegou junto com Eduardo Barroca ao comando do Alvinegro, falou sobre o planejamento neste período.

– Desde a nossa chegada, foram onze jogos. Ideia nesse primeiro momento era entregar mais na parte tática, até pela necessidade. Nossa rotina é preparar muito para o jogo do professor Barroca. A gente procura elaborar exercícios que busquem o envolvimento da parte tática. A gente consegue otimizar a parte física e também a coletividade. Tem a ver com o jogo. Com isso, a gente ganha tempo (na preparação da equipe) – afirmou.

Durante a primeira ‘parte’ do trabalho de Eduardo Barroca, o Botafogo ficou marcado por ser uma equipe intensa durante toda as partidas – não à toa, a maioria dos gols que o Botafogo fez foram marcados durante os 45 minutos finais dos duelos. Com o primeiro objetivo de conquistar resultados a curto prazo cumprido – e a natural paciência com o trabalho do técnico -, a comissão é equilibrar os níveis físicos de todos os atletas.

– Essa intertemporada vai até o jogo do Santos (21 de julho), porque depois do jogo do Cruzeiro, temos uma semana cheia e depois maratona de jogos. São 21 dias até o jogo com o Cruzeiro para que a gente possa reequilibrar o grupo. O objetivo principal é mesmo reequilibrar todo o grupo – analisou Anderson.

Após conquistar o tão sonhado tempo para trabalhar, a ordem de Eduardo Barroca é fazer os jogadores entenderem ainda mais seu estilo de jogo. Desde o sub-20, o comandante é conhecido por colocar uma equipe que valoriza a posse de bola e pressiona a saída do adversário dentro de campo. Nos treinos, é possível ver que, até aqui, o jovem treinador vem focando nos movimentos sem bola dos atletas, justamente para entender tal filosofia.

O plano principal, portanto, é fazer o Botafogo evoluir como um conjunto, passando do trabalho físico aos atributos táticos. Em praticamente um mês de intertemporada, o Alvinegro terá o objetivo de ter ainda mais a ‘cara’ de Eduardo Barroca.

Fonte: Terra