Já não bastasse ter perdido a final da Taça Rio para o Vasco da Gama, o Botafogo tem mais a se lamentar por conta da partida de domingo (16), no Nilton Santos. Nesta segunda-feira (17), foi divulgada a súmula da final, e nela o árbitro Bruno Arleu de Araújo, que apitou o jogo, relatou o chute na bola de Bruno Silva em direção a ele próprio, interpretando de maneira proposital. Diante disso, o volante alvinegro pode pegar até 12 jogos de gancho, caso seja indiciado pelo TJD.

Bruno pode ser enquadrado no artigo 254-A do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBDJ), que fala em praticar agressão física durante a partida, prova ou equivalente – de quatro a 12 jogos – ou julgado em cima do artigo 258, que consiste em assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva não tipificada pelas demais regras – de um a seis jogos -, especificando-se no parágrafo segundo, que se refere ao desrespeito à arbitragem.

Logo após o jogo, Bruno Silva, que era o único titular em campo da equipe de Jair Ventura e foi o capitão do time na final, disse não ter chutado a bola no árbitro de maneira proposital, entretanto, Bruno Arleu não enxergou dessa forma. Pode ser que o jogador nem entre mais em campo neste Campeonato Carioca nessa reta final de partidas decisivas.

Por outra competição, a Copa Libertadores da América, o Botafogo joga na quinta-feia (20), quando enfrenta o Barcelona de Guayaquil (EQU), em solo equatoriano. Por se tratar de outro torneio, Bruno Silva está liberado para atuar e viajará para se juntar com os companheiros que por lá ficaram. A bola rola às 21h45.

Fonte: FutRio