Além de marcar presença na semifinal da Copa do Brasil, o Botafogo também agregou mais um capítulo negativo na história do Atlético. Se tornou o maior carrasco do clube no torneio de mata-mata nacional, com quatro eliminações, empatado com o Goiás.

No Estádio Nilton Santos, na noite desta quarta-feira (26), o Galo falhou ao tentar manter sua vantagem do jogo de ida (vitória por 1 a 0) e num placar agregado de ? a ?, é o Botafogo que irá para a penúltima fase da competição. O time do Rio poderá fazer um confronto doméstico contra o Flamengo, que tem um 2 x 0 para conferir diante do Santos, ainda nesta quarta.

Em 2013, um ano antes de vencer a Copa do Brasil em 2014, o Atlético era campeão da Libertadores e foi eliminado pelo Botafogo nas oitavas da Copa do Brasil. Derrota no Maracanã e empate no Independência. Mas a maior marca que o time de General Severiano deixou quando encontrou com o Galo foi em 2007 e 2008.

Há 10 anos, o Atlético pegava o Botafogo justamente numa quartas de final da Copa do Brasil. Seria eliminado no Maracanã numa eterna reclamação de pênalti. O agora comentarista dos canais Fox Sports, Carlos Eugênio Simon, deixou de marcar uma falta de Alex Bruno em Tchô dentro da área.

No ano posterior, Galo e Botafogo iriam se encontrar. Outra vez nas quartas de final. No ano do centenário, o torcedor alvinegro tinha mais motivos para reclamar que a arbitragem. Perdeu pro 2 a 1 no Rio e deu adeus à competição.

O histórico de eliminações para o Goiás começou nos primeiros anos da Copa do Brasil. Em 1989 e em 1990, o time Esmeraldino de Túlio Maravilha deixou o Atlético comendo poeira nas duas primeiras edições do torneio. Depois, voltou a despachar o Atlético em 2001 e, por fim, teve a quarta eliminação confirmada em 2012, no primeiro ano do Novo Independência.

Fonte: Hoje em Dia