Em meio ao drama vivido por Roger, fora da temporada para o tratamento de um tumor no rim, aumentou a responsabilidade de Bruno Silva pelos gols do Botafogo. Ele é o vice-artilheiro alvinegro na temporada, atrás do companheiro hospitalizado. Nesta quarta-feira, o meia encara a Chapecoense, às 19h30, pelo Brasileiro, no Nilton Santos, com a missão de manter a pontaria afiada.

São oito gols marcados em 2017, um a mais que Guilherme e Rodrigo Pimpão, atacantes de ofício. Vindo de trás, é um elemento surpresa. Mas agora, sem Roger, que fez 17 gols este ano, a tendência é ser ainda mais visado, tanto pelos colegas de time quanto pelos rivais.

Aos 31 anos, Silva vive o melhor momento da carreira. Chegou a ser especulado na seleção, mas tenta ser realista, sem alimentar esperanças de ir ao Mundial. O que enche mesmo os olhos do jogador é o retorno já no ano que vem à Libertadores.

– Seria um feito inédito para o Botafogo, jogar duas Libertadores seguidas. Vamos atrás disso – destacou.

O técnico Jair Ventura tem apenas uma dúvida, no gol. Caso Gatito Fernández volte bem da seleção do Paraguai, jogará. Do contrário, Helton Leite deve ser titular. Jefferson está com amigdalite.

Fonte: Extra Online