Assumpção terá de justificar seus atos em reunião do Conselho no próximo dia 7

Compartilhe:

Quando Maurício Assumpção chorou, há uma semana, na reunião em que disse à Dilma Rousseff que o Botafogo poderia retirar-se do Brasileiro, o presidente do clube esperava solidariedade. No entanto, o que já era ruim piorou. Protesto de jogadores pelo atraso de salários, derrota em clássico, invasão de torcedores em General Severiano e, mais recentemente, a revelação de que uma empresa do pai de Assumpção recebe comissão de 5% nos contratos entre a principal patrocinadora e o clube isolaram politicamente o presidente.

Embora se defenda, argumentando que não há impedimentos no estatuto do clube, o presidente tem nova data para justificar seus atos. Será no próximo dia 7 (quinta-feira), às 19h, na sede de General Severiano, na reunião do Conselho Deliberativo, convocada ontem.

Fonte: O Globo Online

Comentários