Envolvido em algumas novelas durante o período de transferências neste início de 2018, o Botafogo, ao menos, já solucionou uma delas. O atacante Rony, que pertence ao Cruzeiro e está emprestado ao Albirex Niigata-JPN, chegou a ser anunciado pelo Alvinegro, mas devido a um problema jurídico, foi descartado pela diretoria. Segundo o empresário do jogador, as negociações foram encerradas definitivamente.

Em contato com a reportagem da VAVEL Brasil, Hercules Junior chegou a tratar com surpresa o interesse numa atualização do status de Rony, afirmando que os dois teriam retornado ao país apenas para resolver seus problemas judiciais. Diversas especulações partiram de uma foto que o jogador publicou, ao lado do empresário, celebrando uma volta ao Brasil.

“Eu não sei nem porque estão me ligando. Estamos de volta ao Brasil porque estamos resolvendo nossos problemas, estamos com uma briga judicial. Não existe nada com Botafogo. O Botafogo já havia descartado o jogador. Não há nem perspectiva nenhuma [para Rony] no Brasil, nem com Botafogo, nem São Paulo, Corinthians”, declarou o agente.

Desde que foi anunciado pelo Botafogo, no início do mês de janeiro, Rony deixou claro que não pretendia retornar ao Albirex Niigata, o que desencadeou problemas jurídicos para todas as partes envolvidas, inclusive o Cruzeiro, que precisaria desembolsar mais R$ 1 milhão por conta do negócio envolvendo o volante Bruno Silva.

Outra opção seria o empréstimo de outro atleta ao clube de General Severiano, possibilidade levantada algumas vezes por Marcelo Dijan, diretor de futebol do clube mineiro.

Entenda o caso

O Cruzeiro contratou o volante Bruno Silva no começo de 2018 junto ao Botafogo, após um novela que já se estendia desde o ano passado. A Raposa pagou R$ 4 milhões ao time carioca e ainda R$ 1 milhão à Ponte Preta, que detinha 60% dos direitos do atleta. A diretoria mineira envolveu, ainda, o atacante Rony, que iria para o clube do Rio de Janeiro – a equipe celeste é dono de 40% dos direitos do atleta.

Com isso, Rony deixou o Albirex Niigata e chegou a ser integrado ao elenco carioca. O time japonês, porém, enviou uma notificação extraoficial ao clube mineiro, dizendo que o atacante tinha saído do Japão antes do tempo previsto em contrato. Com isso, ou a Raposa devolvia o jogador, ou pagava uma multa de 10 milhões de dólares (cerca de R$32 milhões).

Mas, e quanto ao Botafogo? Havia uma cláusula de resguardo ao time carioca que obrigava o Cruzeiro a desembolsar mais 1 milhão de reais o envolvimento de Rony não desse certo. Com o atacante fora da jogada, a situação agora fica entre as diretorias da Raposa e do Botafogo, e por isso a equipe mineira cogitou mandar algum atleta para o Rio de Janeiro em vez de pagar.

Fonte: Vavel