JEFFERSON – 8,0
Melhor goleiro do Brasil. Fez monumental defesa em cabeçada de Nilton no segundo tempo e pelo menos mais duas ou três grandes intervenções que garantiram o empate.

LUCAS – 6,5
Cruzou a bola para Edilson marcar o primeiro gol do Botafogo. Fez um bom jogo de uma maneira geral e soube fechar quando necessário.

BOLÍVAR – 6,0
Líder da defesa, teve boa atuação, apesar da movimentação e da velocidade dos atacantes do Cruzeiro.

DÓRIA – 7,0
Deu alguns vacilos no primeiro tempo, mas na maioria dos lances foi crucial e desarmou ataques perigosos do Cruzeiro.

JUNIOR CESAR – 5,5
Não foi tanto ao ataque e preocupou-se mais em proteger o Botafogo das subidas de Mayke.

GABRIEL – 6,5
Teve trabalho para marcar o rápido e habilidoso meio-de-campo do Cruzeiro, mas mostrou a raça de sempre e foi o jogador do Botafogo que mais desarmou neste sábado.

BOLATTI – 7,0
Um leão em campo. Ganhou todas no alto e esteve sempre na hora certa para bloquear as trocas de passe do Cruzeiro. Saiu no início do segundo tempo cansado.

RODRIGO SOUTO – 5,5
Entrou bem no combate no meio-de-campo, mas errou passes bobos na saída de bola. Coisa de quem está sem ritmo de jogo.

EDÍLSON – 7,5
Levou um cartão amarelo bobo no primeiro tempo, mas obrigou Fábio a fazer grande defesa em cobrança de falta e fez o gol do Botafogo. Foi bem no meio, se apresentando pelo lado direito. Pode não ter tanta técnica, mas tem muita raça.

CARLOS ALBERTO – 5,0
Primeiro tempo muito superior à atuação que teve contra o Flamengo. Válvula de escape no meio-campo, utilizou a velocidade para distribuir o jogo, mas precisa prender menos a bola. Caiu muito no segundo tempo.

ZEBALLOS – 4,0
Entrou mal no jogo, pareceu desligado e desperdiçou contra-ataques.

ROGÉRIO – 5,5
Em sua estreia, correu como um louco pelo lado esquerdo e ajudou muito na marcação. Tentou algumas jogadas pelo lado e se apresentou, mas falta ritmo. Mostrou que pode ser útil.

JULIO CESAR – 6,0
Entrou no lugar de Rogério e se apresentou bem como uma espécie de ala-esquerdo, dando opções para os contra-ataques.

EMERSON SHEIK – 7,0
Impressionante como ele se doa pela equipe. Ajudou na marcação e sempre que a bola está nos seus pés a possibilidade de sair uma boa jogada é grande. Falta companhia a ele, é muito inteligente.

VAGNER MANCINI – 7,0
Acertou ao utilizar Edilson no meio-de-campo e foi bem ao colocar Rodrigo Souto e Julio Cesar no jogo. Não tem muitas opções para mudar a equipe no meio-de-campo, mas com o que tem em mãos começa a dar um padrão tático à equipe.

Fonte: Redação FogãoNET