O Botafogo dispensou pelo menos quatro jogadores da equipe sub-17, finalista do Campeonato Carioca da categoria, entre eles, um dos destaques do time na temporada, o lateral esquerdo Pedro Basseto, titular durante toda a temporada.

Pedro Basseto fez gols na final da Taça Rio, contra o Flamengo e no primeiro jogo da final do Carioca, no Estádio Nilton Santos, contra o mesmo Flamengo. O garoto se destacava pela versatilidade de atuar mais adiantado, quando preciso.

Basseto fez mais de 30 jogos no ano, fez quatro gols e deu nove assistências com a camisa do Botafogo. Números expressivos para um jogador da posição. Em contato com o jogador, o mesmo explicou a situação.

– Eles disseram que teria muito jogador no sub-20, ninguém entendeu nada, ninguém esperava que eu fosse mandado embora. Disseram que eu ficaria apenas treinando, mas nem me deram uma oportunidade no sub-20 pra ver como eu iria – disse o jogador.

Perguntado se houve algum motivo específico, o jogador falou que o clube busca cortar custos e que essa foi a alegação da diretoria.

– Não me deram um motivo específico, apenas que o clube está sofrendo com quantitativo e que está cortando custos – finalizou Basseto.

Com a subida de Victor Lindemberg para os profissionais, Basseto já era considerado o sucessor do jogador na posição. O jogador tinha como ponto forte, suas ótimas subidas para o ataque, além de boa finalização. Em contato ainda com outros funcionários, muitos ficaram surpresos negativamente com a dispensa do jogador.

O jogador também fez questão de soltar uma nota de agradecimento; confira.

“Tenho um carinho especial pelo clube, fiz muitos amigos lá e estou com a cabeça tranquila, fiz um bom trabalho, tenho um agradecimento especial pelo técnico do sub 17 Phellipe Leal, o mesmo me fez evoluir muito como homem e atleta. Obrigado Botafogo.”

BOTAFOGO SE PRONUNCIA

O Botafogo deu sua versão para o desligamento do lateral esquerdo Pedro Basseto, que estava no elenco que chegou a final do Campeonato Carioca Sub-17, deste ano. Manoel Renha, Coordenador Geral da Base do Botafogo, falou com exclusividade para o Tá na Rede e detalhou toda situação não só do caso de Basseto, mas como funciona o processo de mudança de categoria.

– Em nenhum momento duvidamos do talento do Basseto, muito pelo contrario. Mas temos dois laterais esquerdos no sub-20 (Jonathan e Lucas Barros), e a comissão técnica avaliou que não eram necessários três jogadores para a posição. Como os dois que estão no momento na categoria, estão em um estágio mais avançado que o Basseto, neste momento, conforme avaliação da comissão técnica, optamos por liberar o Basseto. Pode ser que daqui a três ou quatro anos, o Basseto passe a frente dos que estão neste momento, mas hoje, a comissão técnica não enxergou desta forma – disse Renha.

Manuel Renha ainda disse que o quantitativo de jogadores do sub-20 no momento, está muito alto e que a ideia é diminuir ainda mais. No momento, o Botafogo conta com algo em torno de 36 jogadores, mas a ideia é contar com um número em torno de 28 atletas. O quantitativo alto, somado ao baixo orçamento, também forçou o clube a dispensar alguns jovens da base.

– Temos um orçamento a cumprir e temos que nos adequar a ele. Temos em torno, uns 36 atletas e a ideia do Botafogo, é diminuir ainda mais essa quantidade. Nós lamentamos muito não poder ficar com todos os atletas, mas em cada categoria, existe um ciclo e nem todos completam esse ciclo no Botafogo – explico Renha.

O Tá na Rede divulgou mais cedo, uma entrevista com o atleta que talvez tenha sido mal interpretada por algumas pessoas, já que o jogador não foi desligado por problemas técnicos ou muito menos por problemas com seu empresário. O Tá na Rede esclarece ainda que, a torcida via o atleta Basseto com bons olhos para subir para o sub-20, e não que o Botafogo estava dispensando um jogador sem ter outros para a posição.

Fonte: Tá na Rede News