O presidente do Botafogo, Carlos Eduardo Pereira, não quer saber de dividir torcida com o Flamengo nos duelos da semifinal da Copa do Brasil, nos dias 16 e 23 de agosto.

Nesta segunda-feira (31), após o sorteio dos mandos de campo do confronto, na sede da CBF, o dirigente defendeu a ideia de torcida única nos jogos decisivos. O Alvinegro abre o duelo no Engenhão, e o Fla manda a partia decisiva, na Ilha do Urubu.

“Vamos procurar as forças de segurança, a Polícia, e sugerir isso. Para ter 5% de torcida visitante no estádio, é melhor que se caminhe para a torcida única. Os gastos e aparatos utilizados para essa numero reduzido de torcida não se justifica”, disse Pereira.

Com declarações firmes, o mandatário alvinegro ainda tocou em outro assunto polêmico: arbitragem. Ele questionou os “erros repetidos a favor do adversário recentemente” e pediu uma reunião com a direção da área da Confederação para tratar do caso.

“Estamos preocupados com a questão da arbitragem, uma vez que nosso adversário da semifinal vem sendo sistematicamente beneficiado. Quremos atenção à questão da arbitragem, sim. Ontem [domingo] presenciamos mais um erro absurdo a favor deles. Vamos conversar com a área de arbitragem e pedir uma atenção especial. Queremos que se escolham uma arbitragem de muita experiência e sem histórico de ocorrências turbulentas. Não estou fazendo acusações, falando em complô. Mas apresento fatos. Está tudo aí. Não sei se é coincidência, o que é, mas precisamos ficar atentos. Não quero meu time prejudicado em momento decisivo”, argumentou Carlos Eduardo Pereira.

Procurado pela reportagem do UOL para comentar a questão da divisão de torcidas, o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, rebateu.

“A posição do Flamengo sobre esse absurdo de torcida única ficou bastante clara quando o assunto veio à tona durante o campeonato carioca. Somos radicalmente contra”, disse o comandante do clube da Gávea.

Fonte: UOL