Com transmissão exclusiva do Esporte Interativo, o Campeonato Brasileiro de Aspirantes terá início neste domingo (22), com o duelo entre Botafogo e Atlético-MG, no estádio de Los Larios, em Xerém, às 20h (de Brasília). Às vésperas do início da competição, o técnico do clube carioca, Eduardo Barroca, bateu um papo com a reportagem e falou sobre a preparação para o torneio. O treinador falou sobre a criação do campeonato, a relação com Jair Ventura, os jovens que podem despontar e a importância das partidas serem transmitidas.

​Campeonato Brasileiro de Aspirantes

“Sempre foi uma luta muito grande, sempre discutimos esse processo de transição da base para o profissional. Sempre foi um pedido para que quando o jogador chegasse aos 19 anos não tivesse que definir entre ser jogador ou parar de jogar futebol. Estou vendo com ótimos olhos. Você ter equipes de bom nível é ótimo para o jogador aproveitar as oportunidades. Aqui no Botafogo o feedback foi positivo. Todos os jogadores com possibilidade procuraram o clube com interesse de jogar. Evidente que alguns então sendo usados pelo Jair e a prioridade é o Brasileirão, mas todos com interesse de aumentar o tempo de jogo. Isso é interessante. Você está aumentando as oportunidades no mercado de trabalho para jogador, comissão técnica.”

 

Aproveitamento de profissionais

“Nesse primeiro jogo teremos três jogadores que não são do sub-20: Bochecha, Saulo e Pachu, que voltou agora do Santa Cruz. A tendência é que com a passar dos jogos a gente comece a usar outras alternativas.”

 

Atletas que devem subir em 2018

“É difícil apontar individualidade. Depende muito da formatação do profissional. Quem vai estourar idade e tem potencial é a dupla de zaga, Kanu e Welerson, e o Linderberg, além do Lucas Campos que está machucado e está retornando na próxima semana. O Fernando, o Wenderson, Ezequiel são todos jogadores com potencial de serem aproveitados. A gente tem uma filosofia clara: o jogador não está no profissional e desce. Ele ainda está no processo de formação e sobe para ser aproveitado. Tem uma diferença grande. Se ele está no profissional só treinando e desce para jogar, acaba não sendo muito atrativo. Se ele ainda faz parte do processo de formação e ele sobre para ser utilizado, ele valoriza muito mais. Todos esses jogadores que citei têm capacidade de serem utilizados no profissional e quando não estiverem sendo utilizados podem continuar na formação no sub-20.”

 

Conversa com Jair

“A gente conversa quase que diariamente. A utilização ou não depende da utilização dele no Campeonato Brasileiro, que é a prioridade. Estamos definido jogo a jogo que ele vai utilizar e quem ele pretende que tenha oportunidade aqui. O grande objetivo é que o jogador esteja bem preparado para o profissional.”

 

Jogos televisionados

“As principais competição são televisionadas e eles estão habituados. Neste ano, o Botafogo teve entre 10 e 12 transmissões, em Copa São Paulo, Brasileiro, Copa do Brasil… O Botafogo tem um volume grande, já que está sempre chegando nas finais. A transmissão é fundamental para o jogador estreitar o canal de relação com o torcedor. E ao mesmo tempo obrigado a gente a desenvolver um trabalho de excelência. A gente tem uma preocupação grande de apresentar um bom futebol.”

 

Para a estreia, o Botafogo terá: Saulo; Fernando, Kanu, Welerson e Victor Lindenberg; Bochecha, Wenderson e Rickson; Pachu, Ezequiel e Alison.

 

O Botafogo está no grupo B, ao lado de Atlético-MG, Atlético-PR, Grêmio e Santos. A Chave A conta com Coritiba, Cruzeiro, Figueirense, Internacional e São Paulo. A equipe carioca usará a base do time sub-20 e utilizará alguns atletas profissionais para ganhar rodagem. A competição vem para ajudar a transição de atletas das categorias de base para o profissional. De acordo com o regulamento, cada clube pode inscrever um goleiro e três jogadores de linha maiores de 23 anos.

Fonte: Esporte Interativo