Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Jogos

Carioca

17/04/21 às 16:00 - Maracanã

Escudo Fluminense
FLU

X

Escudo Botafogo
BOT

Copa do Brasil

14/04/21 às 21:30 - Frasqueirão

Escudo ABC
ABC

1

X

1

Escudo Botafogo
BOT

Campeonato Carioca

10/04/21 às 21:05 - Raulino de Oliveira

Escudo Volta Redonda
VRE

2

X

2

Escudo Botafogo
BOT

Barroca pede coragem, personalidade e comprometimento no Botafogo: ‘Apresentamos mudança, mas ainda é insuficiente’

10 comentários

Compartilhe

Barroca pede coragem, personalidade e comprometimento no Botafogo: ‘Apresentamos mudança, mas ainda é insuficiente’
Vitor Silva/Botafogo

Apesar da derrota por 2 a 1 para o Internacional, o jogo foi valorizado internamente no Botafogo. Entretanto, não a ponto de achar que já está bom. O técnico Eduardo Barroca, em entrevista ao site “GE”, garantiu que vai cobrar mais dos jogadores na reta final do Campeonato Brasileiro.

– Apresentamos uma mudança, mas ainda é insuficiente. Temos margem para crescimento e estamos fazendo isso no dia a dia. O torcedor precisa identificar atitude, coragem, precisa enxergar que a equipe quer reverter isso. A partir do jogo contra o Coritiba, temos a obrigação de entregar isso para o torcedor. Não podemos prometer resultados, mas é nossa obrigação garantir compromisso com o clube – afirmou Barroca.

– O jogo contra o Coritiba é uma final de Copa do Mundo. É um adversário direto, chance de ganhar duas posições. E para interromper essa sequência, para que a confiança volte e o jogador não entre em campo com esse peso. Não estou permitindo que a gente faça planejamento a médio prazo, pontuação, nada disso. O foco é no trabalho dia após dia. Agora, o foco total é no Coritiba. E será assim até o final. Qualquer coisa que a gente projete não é real, precisamos viver o presente e encontrar soluções rápido – adicionou.

O treinador se colocou como um exemplo de dedicação ao Botafogo.

– A gente vai precisar muito de coragem, de personalidade para arriscar, de comprometimento com a instituição. Todo mundo precisa entregar tudo para a instituição. Se eu perceber que alguém não está, é minha obrigação agir. Estou dando o maior exemplo, estou com o pulmão comprometido, com a saúde fragilizada, e estou dando tudo pelo Botafogo – garantiu.

– Desde que voltei de Salvador eu ainda não fui na minha casa, e eu moro a 500 metros do Nilton Santos. Vou do hotel para o clube e do clube para o hotel. Estou com receio por conta da minha família, mas não tem nada mais importante do que manter o Botafogo na Série A – completou.

Fonte: Redação FogãoNET e GE

Comentários