No próximo domingo, o Botafogo começa a escrever sua história na temporada 2019/20 de basquete. O Alvinegro estreia no Campeonato Estadual, às 15h, no La Salle, diante do Niterói. Para isso, Léo Figueiró terá à disposição sua principal contratação da janela: o pivô Lucas Mariano.

Com passagem pela Seleção Brasileira e histórico de prêmios individuais, como o de Melhor Pivô do NBB 9, Lucão chega a General Severiano disposto a retomar o basquete que o transformou em um dos principais atletas em atividade no país. Na última temporada, o pivô acumulou médias de 19 pontos, 6 rebotes e uma escrita com o Bauru: único time que não foi superado pelo Botafogo no NBB. Aos 25 anos, Lucão será a referência do garrafão alvinegro e quer transformar todo o trabalho em títulos e retorno à Seleção Brasileira. Confira a entrevista do atleta.

VINDA

– As conversas com o Léo me motivaram a vir para o Botafogo. Ele disse o que pensava sobre a temporada, o que o Botafogo buscava e eu me enxerguei dentro do projeto. Sabemos como foi a temporada, conhecemos a expectativa da torcida e estamos dispostos a subir mais um degrau.

PRIMEIRAS IMPRESSÕES

– Fui recebido muito bem. Desde o primeiro dia na coletiva de imprensa, na apresentação e na reunião já dava para ter ideia de como o clube funcionava. De vários que trabalhei no Brasil, o Botafogo está entre os melhores se falando de estrutura. Nossa rotina de trabalho é leve, existe harmonia entre os jogadores e a comissão técnica, o que resulta num clima muito bom. Estou gostando demais desses primeiros meses e temos absolutamente tudo para trabalhar em paz e evoluir como time.

TIME QUE O BOTAFOGO NÃO VENCEU

– Foi o Bauru (risos). O Léo brinca várias vezes falando sobre isso e diz que vai me cobrar as bolas de três. Foi um jogo muito complicado, ficamos atrás o tempo todo, mas recuperamos no final e eu tive a felicidade de acertar uma bola decisiva. Foi no detalhe! O Botafogo tinha um ritmo forte, dentro do sistema, com marcação e contra-ataques rápidos que dificultavam muito. Não à toa, chegaram a semifinal do NBB e do Super 8. Hoje, aqui, consigo entender melhor essa forma de jogar. O trabalho foi muito bem feito na última temporada, posso dizer que está enraizado nos atletas que ficaram e vem sendo absorvido de uma forma muito positiva por quem chegou. Agora eu vou deixar tudo em quadra para ajudar o Botafogo a vencer todos os adversários e conquistar títulos.

OBJETIVOS

– Estou no Botafogo pensando em fazer a melhor temporada da minha vida, conquistar títulos e voltar à Seleção Brasileira. A única forma de alcançar esses objetivos é trabalhando sério todos os dias e mantendo os pés no chão porque o caminho é longo. Tive boas temporadas, estourei em Brasília, mas depois não mantive a sequência no Vasco. O Léo fala muito comigo sobre superação, alcançar coisas novas, e estou confiante para buscar títulos pelo Botafogo e voltar a figurar entre os melhores pivôs do Brasil.

RIVALIDADE

– Joguei no Vasco na temporada retrasada e entendo muito bem o peso da rivalidade aqui no Rio, sei como é a energia de um clássico. Todo mundo quer ganhar, a torcida fica mais vibrante e a atmosfera muda completamente. Esse clima é bom demais e o time tem que entrar ligado! O Estadual está chegando, temos que pensar jogo a jogo, nossa estreia é contra o Niterói, mas a expectativa é alta para os jogos contra o Flamengo por conta dos elencos que se reforçaram e pelo histórico recente.

O QUE ESPERAR DO LUCÃO NO BOTAFOGO

– O verdadeiro xerife! O cara que vai brigar firme no poste baixo, fazer o jogo de contato, pegar os rebotes, abrir os espaços, mas também vai tá preparado para matar as bolas de fora. Nosso time tem excelentes chutadores e o foco do meu jogo vai ser o garrafão, mas se a bola sobrar, eu tenho que definir. A torcida do Botafogo pode vir esperando muita raça, força e dedicação porque eu vou honrar esta camisa e tenho certeza que todos os meus companheiros também vão.

Fonte: Site oficial do Botafogo