Beijos nos pés de Fred custarão punição e multa a torcedor

Compartilhe:

A invasão do gramado da Arena Pernambuco na partida entre Botafogo e Fluminense, domingo, não passará em branco. As autoridades pernambucanas envolvidas na administração dos jogos do estádio revelaram que estão atentas ao quesito segurança e que punirão o torcedor Douglas Silva da Costa. Ele deixou as arquibancadas sem ser importunado e entrou no campo para beijar os pés do atacante Fred. A ousadia, no entanto, custará caro.

Pernambucano e torcedor do Sport, Douglas da Costa Silva usou sua página em uma rede social para comemorar o feito. A alegria deve durar pouco. Ele foi autuado no artigo 41-B do Estatuto do Torcedor, que corresponde a  “ocasionar tumulto, praticar violência ou invadir local restrito”, e recebeu uma pena de 90 dias sem poder ir a um jogo de futebol em Pernambuco, além de uma multa de R$ 150.

De acordo com o coordenador geral dos juizados no estado, Ailton de Souza, a punição a esse tipo de conduta é rígida e continuará.

– Esse procedimento é padrão. O torcedor é levado até o juizado e geralmente recebe uma pena de ficar proibido de entrar nos estádios de Pernambuco. No caso da Arena Pernambuco, temos uma delegacia especial. Essa permuta varia de três meses até três anos e, nos dias de jogos, o torcedor é obrigado a comparecer ao juizado.

Ainda segundo Ailton de Souza, o torcedor terá que comparecer ao Juizado em todos os dias que houver jogos no Recife, seja na Arena, nos Aflitos, Ilha do Retiro ou Arruda. Caso não cumpra a determinação, ele pode ser preso.

– Ele precisa chegar uma hora antes e só é liberado uma hora depois do jogo. Isso é uma medida de praxe, que realizamos com todos os torcedores que foram punidos. Caso ele não cumpra, ele vai responder ao processo normalmente e se for punido pode chegar a ser preso.

Torcedor beija pé Fred Botafogo x Fluminense (Foto: Antônio Carneiro / Pernambuco Press)Torcedor beija pé de Fred na Arena Pernambuco e é punido com 90 dias sem poder ir a um estádio pernambucano (Foto: Antônio Carneiro / Pernambuco Press)

Consórcio e FPF defendem esquema de segurança

A Arena Pernambuco possui um efetivo de segurança privada com cerca de 390 profissionais que se soma ao contingente da Polícia Militar em dias de jogo. Mas, de acordo com o presidente do consórcio Arena Pernambuco, Sinval Andrade, a operação padrão do estádio sofreu uma alteração no dia do jogo entre Botafogo e Fluminense.

– A partir de um pedido das federações de futebol de Pernambuco e do Rio de Janeiro, que organizaram a partida, foi solicitado que nossos seguranças particulares não entrassem no campo. Eles se posicionaram nas escadas que dão acesso ao gramado, mas na parte interna (das arquibancadas). Tivemos a polícia pública também, mas atuando em pontos da arquibancada e fora do estádio – explicou.

De acordo com Sinval, o consórcio disponibiliza cerca de 50 profissionais para ficar posicionados dentro do gramado a fim de garantir a segurança no campo.

– No jogo do sábado (Náutico x Ponte Preta), tivemos os policiais dentro do campo, como geralmente a Federação Pernambucana procede e nós sempre disponibilizamos nosso contingente de 50 seguranças para ficarem próximos ao gramado. Mas no domingo isso não aconteceu.

O presidente da Federação Pernambucana de Futebol, Evandro Carvalho, confirmou a mudança na operação.

– É claro que houve uma falha e ela precisa ser corrigida, mas ela decorreu por conta de um jogo de outra federação. No caso deste domingo, deixamos a administração com a Federação Carioca e eles realizaram a operação. Em relação aos nossos jogos, sempre estabelecemos um padrão de segurança muito mais rigoroso, com policiais dentro e fora do campo. Se ocorrer algum outro problema, podemos exigir que as outras federações que venham jogar aqui adotem o nosso modelo.

Em relação ao que será feito para as próximas partidas, Sinval e Evandro analisaram que o modelo em vigência dos jogos locais é eficiente e permanecerá.

– Estaremos em reuniões constantes com a Federação Pernambucana. Lógico que vamos propor novamente até a utilização dos nossos seguranças dentro de campo em operação conjunta com os policiais – relatou Sinval.

Fonte: Globoesporte.com

Comentários