Ainda é deficiente o time que Ricardo Gomes projeta para 2016 _ fundamentalmente pela falta de um bom articulador.

Mas mesmo sem ter quem organize o meio e ajude na maturação de jovens talentos, o Botafogo caminha como pode tirando proveito da fraqueza alheia.

Até porque, para funcionar a contento, o argentino Gervásio Nuñez precisa do acionamento dos laterais _ este trabalho o Botafogo ainda deixa a desejar.

Gegê, Ribamar, Luís Henrique e Neílton são ofensivamente produtivos, mas pecam pela afobação.

Vejamos como se saem no clássico contra o Fluminense, na quarta-feira.

Fonte: Blog do Gilmar Ferreira - Extra Online