Deu gosto ver a entrega do Botafogo no clássico contra o Vasco.

É um time que se espelha no técnico. Admito que poucas vezes vi um treinador tão participante como esse Alberto Valentim. A sensação é que se ele pudesse entraria em campo para dar uma mãozinha.

Disposição sim, organização ainda não. Mas é um avanço, sem duvida.

A reação após sofrer a virada levando dois gols de cabeça é um sinal de que existe equilíbrio emocional. O Botafogo não se apavorou e dentro de suas limitações buscou a classificação no segundo tempo.

As vaias para Igor Rabello são bem discutíveis. Não acho que tenham sido merecidas. Em todo caso, os berros de Valentim em direção ao zagueiro após o gol de Riascos, seguraram uma provável e compreensível reação do zagueiro.

Por falar em zaga fica claro que o argentino Carli não pode ser banco.

O ideal é contar com a altura e experiência do zagueiro ao lado do próprio Igor e jogar o hoje zagueiro Marcelo como primeiro volante.

O Botafogo ficaria muito mais protegido e bem servido no setor defensivo.

Fica a dica.

Fonte: Blog do Bruno Voloch - Gazeta Esportiva