Duas partidas em casa pelo Campeonato Brasileiro e o Fluminense ja atraiu mais de 76 mil pagantes. Lidera o ranking de público de 2014 na Série A, seguido pelo São Paulo, que superou os 63 mil torcedores também em um par de pelejas que “mandou”.

Os ingressos em jogos do tricolor carioca têm o custo médio de R$ 13,06, os da equipe são-paulina R$ 14,91. Nas pelejas dos rubro-negros o preço chega a incríveis R$ 53,99. Os jogos do Galo tem o preço médio do tíquete ainda mais assustador: R$ 57,75. O levantamento é do Footstats.

Cada clube tem sua política de preço e os “especialistas” que as definem se debruçam sobre planilhas e cálculos mirabolantes para justificá-las. A bizarrice não tem limites e nesses “estudos” só se fala em dinheiro, mas o futebol vai muito além disso.

Divulgação/Fluminense

Torcida do Fluminense lotou o Maracanã neste sábado: mais de 50 mil pessoas num sábado à noite no Rio
Torcida do Fluminense lotou o Maracanã neste sábado: mais de 50 mil pessoas num sábado à noite no Rio de Janeiro

A paixão do torcedor não aparece no Excel. A fidelização de quem, desde criança, freqüenta a arquibancada também. Ignoram a beleza de um estádio cheio e o que isso representa, ou seja, valores que não são monetários, mas que têm enorme importância.

Façam a pesquisa que bem entenderem, tentem atribuir o sumiço da galera à violência ou sei lá o que, mas os fatos estão aí, basta encará-los. É o preço elevado o fator número um para que o povo não vá à cancha. Sempre foi.

Diziam que o brasileiro não frequentava os jogos por causa de estádios velhos ruins. E agora que o New Maracana está aí com seu “Padrão Fifa”? Por que num sábado à noite o Fluminense tem quase 45 mil pagantes e num domingo à tarde o Flamengo reúne menos de 17 mil?

Detalhe: segundo as várias pesquisas já realizadas os rubro-negros são quase a metade da torcida no Rio de Janeiro e os tricolores aproximadamente 13%. Mesmo assim o que vimos na arquibancada foi mais uma “goleada” do Flu sobre o Fla. Não esqueça os preços lá do começo do texto.

Torcedor é muito mais do que consumidor. Cabe aos cartolas fazê-los seguir o time de perto, sempre, com assiduidade. Como disse recentemente numa edição do Bate-Bola: ir ao jogo como o fiel que vai à missa aos domingos. A relação é de paixão. Ela é que consome. Sem isso, o futebol morre.

Mais público em 2 jogos:
Fluminense 76.148
São Paulo 63.430
Internacional 39.957
Flamengo 35.330

Mais renda (em R$):
Flamengo 1.907.640
Internacional 1.545.570
Corinthians 1.532.379*
Atlético-PR 1.016.840
* um jogo em casa

Fonte: Blog do Mauro Cezar Pereira - ESPN.com.br