ESTRANHO.

Surpreendeu também, pelo menos a mim, a escolha feita pela nova diretoria do Botafogo.

O grupo de Nélson Mufarrej, o novo presidente, optou pela promoção de Felipe Tigrão como substituto do técnico Jair Ventura.

Abriu mão de Eduardo Barroca, treinador dos juniores, que encabeçava as apostas do mercado.

Tigrão, de 38 anos, é ex-atacante do clube, revelado no final dos anos 90.

Foi treinador do sub 15 e fo sub 17, saindo em 2015 para uma passagem não muito feliz pelo Gonçalense, da Terceira Divisão do Rio.

Voltou em 2016 para ser auxiliar de Jair.

Barroca, apesar de ser mais jovem (33 anos), tem mais rodagem, com trabalhos por diferentes clubes do Brasil.

Chegou a dirigir os profissionais do Bahia, interinamente, em duas oportunidades.

E me parece ter também mais serviços prestados ao próprio Botafogo.

No ano passado, o ex-auxiliar dos profissionais do clube em 2014, conquistou, com Sub 20 alvinegro, a Taça GB, o Estadual e do Brasileiro.

E este ano venceu o Torneio OPG _ competição tradicional no Rio de Janeiro, espécie de Campeonato Carioca da categoria.

Está claro que é uma escolha mais do que arrojada da nova diretoria alvinegra.

Vejamos, portanto, como se sai o Tigrão…

Fonte: Blog do Gilmar Ferreira - Extra Online