O torcedor alvinegro experimentou todo tipo de sensações ontem, durante o jogo com o Audax Italiano, em Santiago, no Chile, pela Copa Sul-Americana. Preocupou-se ao ver um Botafogo ruim no primeiro tempo, o que abriria um horizonte de dúvidas com uma má atuação ao sair das fronteiras do futebol carioca. No segundo tempo, viu a equipe crescer e Rodrigo Pimpão voltar a decidir um jogo, como ocorrera na temporada passada. Para completar, sentiu de novo o sabor de ganhar um jogo com um gol nos acréscimos, como na final do Estadual. A vitória por 2 a 1 deixa o time em boa vantagem para o jogo de volta, no Estádio Nilton Santos, em 9 de maio.

Foram 45 minutos preocupantes, principalmente às vésperas do Campeonato Brasileiro. É verdade que a saída de Renatinho, que se lesionou e foi substituído logo aos cinco minutos de jogo, não ajudou. A entrada de Matheus Fernandes deixou o meio-campo distante do ataque. O time de Alberto Valentim até tinha a bola, mas pouca capacidade de criação. A única jogada de perigo saiu quando Rodrigo Lindoso lançou Gílson às costas da marcação do Audax Italiano e o lateral bateu cruzado. Foi muito pouco diante de um adversário visivelmente limitado tecnicamente.

Pior do que não criar foi sofrer o gol. Eram 40 minutos quando Sérgio Santos aproveitou rebote de ótima defesa de Gatito Fernández para abrir o placar. Pelo lado esquerdo de sua defesa, o Botafogo não marcava bem.

No segundo tempo, aos 10 minutos, Loco Abreu entrou no Audax. Teve participação discreta no reencontro com o Botafogo. Já o time de Valentim, sem ser brilhante, melhorou e ao menos estabeleceu um controle do jogo. Buscava jogar no campo rival e não cedia mais contragolpes. A virada começou a ser construída pouco depois de o técnico, que optara por Matheus Fernandes para o lugar de Renatinho, sacar o meia para pôr Marcos Vinícius, jogador de características mais ofensivas.

Cinco minutos depois, Leandro Carvalho, que errava muito, conseguiu boa jogada e sofreu falta. A cobrança resultou no gol de Brenner.

A última cartada de Valentim foi colocar Rodrigo Pimpão na vaga de Leandro Carvalho. Quando o jogo se encaminhava para o empate, Gílson avançou pela esquerda e cruzou para Pimpão aparecer na área e virar o jogo. Na montanha-russa de emoções, mais uma vez o torcedor saiu feliz.

Fonte: O Globo Online