Blog: ‘O Botafogo fez um belo negócio com a venda de Vitinho’

Compartilhe:

Empresários, executivos de futebol e meros especuladores deste mercado discutiam ontem a possibilidade de o atacante Vitinho, de 19 anos, atração do Botafogo, ter sido negociado com o CSKA, da Rússia, por um valor ainda acima dos 10 milhões de euros anunciados.

O valor pago pelos russos é apenas e tão somente a quantia estipulada em contrato para a liberação dos direitos econômicos e federativos.

O Botafogo ficará com 60% e o Audax, 40%.

Mas e a Traffic, representante do atleta e responsável pela intermediação do negócio?

Especialistas nestas transações comentam, em off obviamente, que é justamente nessas operações, onde o valor do “passe” (sic) é fixado na Federação, que surge a possibilidade de se cobrar do clube comprador uma quantia extra.

Seria o chamado “over price”, que não compromete o “bom negócio” e faz a alegria de intermediários.

Há mais ou menos dois, o Vasco se viu obrigado a recorrer a investidores para recomprar um percentual dos direitos econômicos de Dedé, apenas para recalcular a cláusula que estipulava o direito de transferência do zagueiro por “módicos” U$ 4 milhões.

Vazou no mercado a informação de que o Benfica estaria investindo U$ 6 milhões na compra, mas os vascaínos receberiam seus 45% calculados sobre os U$ 4 milhões fixados.

Com os novos parceiros, o Vasco aumentou a multa rescisória e recebeu do Cruzeiro o percentual a que tinha direito calculado sobre U$ 7 milhões.
BOM NEGÓCIO.

Outro ponto debatido nos bastidores, foi o erro estratégico da diretoria alvinegra, que não reavaliou o valor dos direitos econômicos fixados em março, último, quando Vitinho teve o contrato renovado, passando de R$ 6 mil para 15 mil mensais.

De qualquer forma, para um clube que vive com dois meses de atraso nos salários, os U$ 6 milhões apurados na venda de um atleta que há um ano e meio chegou a General Severiano cedido pelo Audax-Rio, a custo zero, o Botafogo fez um belo negócio.
PENHORA.

A expectativa agora é saber como os dirigentes alvinegros irão operar a entrada do equivalente em reais no Brasil, uma vez que as receitas do clube também estão penhoradas pela Procuradoria da Fazenda Nacional.

Recentemente, os alvinegros tiveram o mesmo problema para receber o valor da venda do meia Andrezinho para o futebol chinês.



Fonte: Blog do Gilmar Ferreira - Extra Online
Comentários