A exemplo do que já fizera no meio da semana, no 0 a 0 com o Atlético-PR, na Baixada, o time de Jair Ventura foi econômico no gasto de energia.

Posicionou-se com linhas baixas, deu aos goianos o falso domínio do jogo, suportou um ou outro momento de pressão e atacou com as bolas longas.

Numa delas, no segundo tempo, conseguiu o gol. Mas em nenhum momento soltou o freio. Jogou posicionado, sofreu o empate e assumiu o risco.

Poderia mais.

Fonte: Blog do Gilmar Ferreira - Extra Online