Mais de 44 mil pagantes e quase 50 mil torcedores no Maracanã para o clássico do dia dos 450 anos da Cidade Maravilhosa.

O líder Botafogo saiu de campo ainda mais líder, depois de ver Jefferson fazer dois milagres entre os 20 e os 30 minutos do segundo tempo, primeiro ao salvar o que seria um gol contra, depois ao impedir outro a favor.

Sim, se o primeiro tempo foi morno, o segundo foi quente.

E a trave rubro-negra foi fundamental para explicar o 1 a 0 alvinegro.

Porque antes de fazer seu gol, em cobrança de falta, o Botafogo a atingiu.

Depois de fazê-lo, atingiu novamente.

E para fazê-lo, idem ibidem.

Tomas, aos 38 minutos, pegou um tirambaço de fora da área, a bola bateu na trave direita do goleiro Paulo Vitor e voltou nele, sem reação, para tocá-lo e acabar no fundo da rede.

Com o que o Glorioso comemorou como se fosse um título, ao quebrar a invencibilidade do Flamengo que vinha do ano passado e que parou em 13 jogos.

Exagero botafoguense?

Nada disso, se for considerado que se trata de um time em busca de recuperar o amor próprio.

O que é melhor do que ganhar do Flamengo para atingir tamanho objetivo?

Fonte: Blog do Juca Kfouri - UOL