A empresa de coxinhas de frango do youtuber Felipe Neto foi anunciada como patrocinadora pontual do Botafogo para o jogo contra o Palmeiras, na próxima segunda-feira (27/11). A Neto’s assinou contrato para estampar a marca no uniforme do clube e fazer ativações extracampo. Se o impacto for considerado positivo, o vínculo poderá ser estendido de forma definitiva para 2018.

Mas, inacreditavelmente, a parceria — que em menos de 24 horas gerou amplo engajamento para os dois lados — tem sido bombardeada. Há torcedores que ainda são incapazes de entender o quanto se aliar a Felipe Neto pode ser bom para o Botafogo. A maior exposição da marca aumentará o faturamento. E mais geração de dinheiro num clube sem fins lucrativos significa, simploriamente, mais investimento no elenco.

Felipe Neto, 29 anos, tem 16 milhões de inscritos no Youtube. Os vídeos postados por ele já foram vistos 2,2 bilhões de vezes. O canal oficial do Botafogo soma 57 mil inscritos. No total, são 9 milhões de visualizações até hoje.

Na internet, não importa que Felipe Neto nunca tenha vencido o Campeonato Brasileiro. Matemática simples: no Youtube, ele é cerca de 250 vezes maior do que o time para o qual torce. E também muito mais relevante no Twitter, no Facebook, no Instagram ou em qualquer rede social que seja criada nos próximos anos.
O futebol no século 21

O impacto de Felipe Neto na internet brasileira é difícil de ser medido para quem ainda pensa que o mundo está no século 20.

Depois do anúncio do patrocínio, o youtuber anunciou ter gravado um vídeo no Engenhão a ser postado em seu canal, aquele com dezenas de milhões de fãs. Nele, precisará de uma ou duas horas para ter mais visualizações do que o Botafogo teve de torcedores pagantes em 2017.

No primeiro dia de parceria, Felipe Neto transformou o Botafogo em notícia internacional num dia completamente parado — o auge até então havia sido essa coletiva de imprensa de Jair Ventura — e fez tanto barulho que os fãs do youtuber agora querem comprar uma camisa oficial do time. Mesmo aqueles que não são torcedores, comprovando o tamanho do engajamento trazido com ele. E isso fez a loja do clube decidir colocar o uniforme à venda.

O torcedor do Botafogo passou 2017 lamentando a falta de um meia criativo, de um atacante habilidoso ou de qualquer outra coisa. E pode vir das coxinhas de Felipe Neto o dinheiro inesperado para pagar o salário de um craque. Nenhum centavo que venha de forma honesta pode ser ignorado por um time que é apenas o 13º no ranking de faturamento do Campeonato Brasileiro.

Fonte: Blog do Braitner - Correio Braziliense