Em um dia extremamente marcante para o futebol nacional, no qual conquistamos nosso primeiro título olímpico, o Botafogo resolveu multiplicar a alegria do seu torcedor e também conquistou um feito marcante: venceu a segunda partida seguida pela 1ª vez nesse Brasileirão.

Com uma atuação segura contra um fraco Sport, o Glorioso não sofreu mais que alguns pequenos sustos – como a bola na trave de Rogério, em um dos primeiros lances de perigo do jogo. E quando caminhávamos pro intervalo de um jogo morno, Sassá fez um gol que ilustra bem nosso bom momento no campeonato: roubou a bola, errou o chute e contou com o montinho artilheiro pra vencer Magrão.

É nítido que Jair Ventura tenta manter a base montada por Ricardo Gomes, mas tentando aperfeiçoar a parte tática – que, convenhamos, andava meio bagunçada. Com Neílton encontrando a forma ideal de se posicionar, alternamos diversas vezes dentro do jogo entre o 4-3-2-1 e o 4-4-1-1. Sua movimentação – ora alinhado no quarteto do meio, ora avançado junto à Camilo – tem sido importante para a organização mínima do time.

O gol no apagar das luzes na primeira etapa visivelmente abalou o Sport, que já não fazia uma grande partida – apesar de ser um time traiçoeiro, que vinha de 6 jogos sem derrota. Na segunda etapa, o Botafogo administrou a posse de bola e só foi ameaçado em falhas individuais do setor defensivo – quase todas cometidas por nosso “querido” barbudo, Renan Fonseca.

Em cobrança de falta de Emerson – finalmente voltou a tentá-las, é bom nisso -, Sassá mostrou oportunismo e teve duas chances pra estufar as redes novamente. Mais uma vez, o goleiro Magrão teve participação no tento. A vantagem deu tranquilidade para recuarmos com sabedoria e tentarmos aproveitar os contra-ataques – algo em que precisamos caprichar mais.

Em uma das diversas chances de pegar o Leão sem resguarda, Camilo iniciou a jogada lançando Pimpão. Em mais uma falha do arqueiro adversário, a bola sobrou limpa pro próprio camisa 10 mandar um chute certeiro e dar números finais à partida. Com essa importantíssima vitória, aumentamos a distância pra zona do rebaixamento, igualamos a pontuação do Sport com um jogo a menos e já começamos a vislumbrar a tranquilidade da primeira metade da tabela.

O Glorioso vive seu melhor momento dentro da competição e começa o turno muito bem com duas vitórias em dois jogos. É torcer e trabalhar muito pros ventos continuarem soprando a favor. Pra cima deles, Alvinegro!

Notas

Sidão: 7
Pouco ameaçado. Fez ótima defesa à queima roupa no 2º tempo e foi bem no trabalho com os pés, auxiliando na saída de bola.

Luis Ricardo: 8
Vive sua melhor fase no Botafogo. Grande participação defensiva e iniciação de jogadas. Ainda assim, é capaz de errar 10 jogadas de linha de fundo seguidas.

Renan Fonseca: 4,5
O ponto negativo da noite. Erra jogadas simples e é facilmente driblado. Em jogadas de velocidade, então, chega a ser patético. Carli é titular com sobras.

Emerson: 6,5
Bem mais seguro que o companheiro de zaga, apesar de alguns vacilos em bolas aéreas. Participação importante no 2º gol. Bom voltar a vê-lo arriscar nas cobranças de falta.

Diogo Barbosa: 7
Também muito bem defensivamente. Com o bom futebol coletivo, vem se soltando na parte ofensiva. Sua renovação já pode começar a ser providenciada.

Airton: 7,5
Impressiona na eficiência de marcação. Desarmes precisos e saídas de bola com muita categoria. Me entristece ver que 80% das suas faltas são mal marcadas por pura perseguição da arbitragem. Infelizmente, voltou a sentir desconforto na coxa e preocupa demais.

Rodrigo Lindoso: 6
Um pouco abaixo da sua média. Errou mais passes do que deveria e não chegou bem à frente. Apesar disso, não comprometeu.

Fernandes: 5,5
Erra passes demais. Infelizmente não consegue mostrar nos profissionais a regularidade e o bom futebol que eram sua marca registrada na base.

Neílton: 8
Encontrou o posicionamento ideal e absorveu a sua importância tática no esquema. Vem mostrando ótima regularidade e sendo sempre um dos melhores em campo.

Camilo: 6,5
Com o time encaixado, diminui sua responsabilidade de resolver sozinho. Um pouco sumido em alguns momentos, mas sempre com um toque de qualidade. Coroado com um gol no fim.

Sassá: 8
Nunca foi grandes coisas tecnicamente. Mas é brigador, faz o pivô razoavelmente, tem boa movimentação e tem a sorte do artilheiro. Seus gols têm sido importantíssimos e decisivos. Atualmente, é o titular.

Dierson: sem nota
Felizmente, não teve tempo de comprometer o jogo. É fraco desde sempre.

Leandrinho: 6
Jogou pouco, mas o mais importante foi mostrar que está completamente recuperado da lesão. Peça bastante útil no elenco.

Pimpão: 6
Não teria nota, pelo pouco tempo jogado, mas seu esforço pra ajudar na marcação e sua participação no 3º gol mereceram algum destaque.

Jair Ventura: 7,5
Ainda é cedo pra analisá-lo, mas é importante ser querido pelo grupo como ele é. Deu pra sentir que quer resgatar, mesmo que apenas em alguns momentos da partida, as duas linhas de 4. Melhorou o posicionamento de Neílton. Só precisa, o mais rápido possível, barrar Renan Fonseca e parar de querer empurrar o Dierson pro campo.

Fonte: Blog Preto no Branco - Pedro Chilingue - ESPN FC