O Botafogo ganhou a fama, no primeiro semestre deste ano, de ser o “Demolidor de campeões”. Isso porque Colo-Colo (Chile), Olimpia (Paraguai), Estudiantes (Argentina) e Atlético Nacional (Colômbia). Dez títulos da competição sucumbiram ao Glorioso. Mas especialmente nas fases eliminatórias anteriores à fase de grupos, a atmosfera de finais, semelhantes à das oitavas, agora, contra o Nacional-URU, dá experiência ao Alvinegro .

– Acho que a experiência da pré-Libertadores nos fortaleceu. Um time novo, enfrentando campeões. Algumas coisas criando barreiras, tabus. Estamos preparados. Não passamos do primeiro pote (grupo) de pára-quedas. Enfrentamos falta de experiência e conseguimos avançar. Sabemos jogar essa competição. Aprendemos. Faz alguns dias que só falamos desse jogo. A gente só pensa em Libertadores – revelou Roger, ainda no Rio.

O volante Rodrigo Lindoso entende que o duelo desta quinta será mais um a ser encarado como final. E lembrou que, apesar do cenário adverso no Estádio Parque Central, casa do Nacional, a torcida do Botafogo também estará presente. Na arquibancada e em pensamento.

– Será um jogo que qualquer jogador quer jogar, ser parte do momento importante que o clube vive. Uma batalha, com um estádio lotado para o Nacional. Só que também teremos apoio lá e, além disso, levaremos muito mais torcedores no nosso coração e pensamento. Somos uma família – disse o volante ao site oficial do clube.

Fonte: Terra