Apesar das diferenças de estilo de jogo e desempenho no Campeonato Brasileiro, os trabalhos dos treinadores Eduardo Barroca (anterior) e Alberto Valentim (atual) à frentre do Botafogo têm uma coisa em comum: o péssimo aproveitamento contra adversários que estão na zona de classificação para a Libertadores. Até agora, foram 12 jogos diante de rivais do G7 — o Athletico, já está classificado para a competição via Copa do Brasil, é o sexto —, foram 11 derrotas e apenas uma vitória.

Coincidentemente, o triunfo solitário foi justamente sobre o Athletico, adversário do Alvinegro no domingo, às 18h, na Arena da Baixada. A vitória aconteceu na 14ª rodada da competição, com o Botafogo superando o Rubro-Negro por 2 a 1, no Nilton Santos, ainda sob o comando de Eduardo Barroca.

Alberto Valentim, que vinha pressionado pelo desempenho ruim do time, respirou com o triunfo sobre o Avaí e saída da zona de rebaixamento, mas o confronto com o Athletico é fundamental para o Botafogo permanecer fora da “turma da degola”. O zagueiro Gabriel, no entanto, defendeu o treinador.

— Em um mês de trabalho não dá para mudar muita coisa. Tivemos muitos jogos em sequência acabamos treinando pouco. Às vezes não dá tempo de colocar a filosofia de trabalho e fica mais complicado para o jogador — disse o zagueiro.

Fonte: Extra Online