O técnico Jair Ventura acredita que o Botafogo adquiriu “cancha” nas decisões do ano e aprende mais a cada partida. Além de pronto taticamente, o comandante vê o Glorioso com força mental para chegar a uma histórica semifinal de Libertadores.

Em situação inédita nesta edição da competição intercontinental, o time precisa marcar gols fora de casa para avançar de fase. Contra o Colo-Colo e diante do Olimpia, o Alvinegro podia ficar no 0 a 0 que asseguraria a classificação, algo que não acontecerá na partida da próxima quarta-feira, contra o Grêmio, em Porto Alegre. Mas nada que amedronte Jair.

– Estou desde janeiro assim. Não é algo que apareceu no meio do ano, no fim do ano. Mais uma decisão. Estamos acostumados. Colo-Colo, Olimpia, fase de grupos, agora com o Nacional… A cada grande jogo você ganha uma experiência fantástica. Uma coisa que mostra que estamos focados é o nosso rendimento hoje. Bati nessa tecla, importância do hoje, viver o hoje – opinou o comandante.

Uma das apostas do técnico do Botafogo para vencer no Sul é se apegar ao critério do gol qualificado e saber dosar as investidas ao ataque com os momentos de se defender. Ele foi incisivo: nada de ficar na defesa.

– Penso muito no gol qualificado. O Grêmio tem que jogar, precisa do gol também, e todo mundo sabe a força do Botafogo.Tem que ter momento de marcar pressão, outro de marcar baixo. Não podemos ir e jogar por uma bola. Ouvi muita gente dizendo que contra o Flamengo a gente queria empatar o jogo por causa do Gatito. Isso não existe. Eu vou falar para o meu jogador não chutar ao gol se ele ficar de frente para o goleiro? Vamos jogar para vencer lá, dentro da nossa estratégia. O Renato terminou o jogo aqui com três zagueiros. Estamos vivos – completou o treinador.

Fonte: Terra