Desde que Alberto Valentim retomou o comando do Botafogo, a equipe não perdeu pontos no Campeonato Carioca. As três vitórias consecutivas ajudaram a equipe a engrenar na Taça Guanabara, mas elas não dizem tudo sobre o desempenho alvinegro. Em processo de reformulação depois da saída de jogadores importantes, como Diego Souza e João Paulo, o time ainda não convenceu que pode fazer um papel bonito na temporada.

Depois de perder os dois primeiros jogos com uma formação reserva, ainda sem Alberto Valentim, o Botafogo venceu três vezes: 3 a 1 sobre o Macaé, 2 a 1 no Resende e 1 a 0 contra os reservas do Vasco. Nas duas últimas partidas, o triunfo só foi assegurado com gols no fim. Por causa dessa instabilidade, o trabalho do treinador é questionado.

O próprio técnico já diagnosticou um problema que o Botafogo vem enfrentando no ataque. Para Valentim, o time precisa de menos pressa quando tem a posse da bola.

“O que enxerguei no primeiro tempo [contra o Vasco] é que erramos alguns passes e procuramos verticalizar quando ainda não cabia a jogada. A ideia é fazer posse de bola, mas verticalizar porque temos jogadores com essa característica. Fizemos 400 passes hoje, mas a ideia é achar a hora certa dessa jogada na vertical”, analisou.

O ambiente não é de pressão em General Severiano, pois o Botafogo ainda aguarda a apresentação de seu principal reforço para a temporada. O japonês Honda, que ainda não tem data para chegar, será o nome de experiência para comandar o jovem elenco alvinegro.

Enquanto Honda não se apresenta, o Botafogo vai usando sua juventude para seguir vivo na Taça Guanabara. Contra o Vasco, foi a vez de Igor Cássio ser decisivo e anotar o gol da vitória. Nos demais jogos, essa tarefa ficou com o centroavante Pedro Raul e com o armador Bruno Nazário, que vem sendo um dos destaques do time em 2020.

O teste decisivo para o Botafogo, porém, acontece nesta semana. Nesta quarta-feira (5), acontece a estreia na Copa do Brasil. Em confronto com jogo único, o time alvinegro encara o Caxias (RS), às 21h30, no estádio Centenário, e atua pelo empate. Já no domingo (9), o clássico contra o Fluminense vale a classificação para a semifinal da Taça Guanabara.

Sem mais reforços

A perspectiva para a temporada não é de mais reforços para o Botafogo. Segundo Valentim, a contratação de Honda encerra um ciclo.

“A princípio nós paramos. No decorrer da temporada, vamos ver o que estamos necessitando, quais as oportunidades, mas a princípio estamos cobertos. Claro que se aparecer alguma coisa importante, vamos analisar com a diretoria dentro da nossa realidade”, explicou.

Fonte: UOL