Com apenas seis jogos pelo Botafogo, o volante Amaral ainda causa dor de cabeça para a diretoria alvinegra. Isso porque, no dia 11 de outubro, o clube foi condenado pela juíza Nélie Oliveira Perbeils, da 30ª Vara do Trabalho, do Rio de Janeiro, a pagar R$ 300 mil ao jogador por conta de salários e outros encargos atrasados.

Amaral chegou ao Bota em agosto de 2012 e deixou a equipe em dezembro do mesmo ano. Segundo a juíza, o clube lhe deve o salário de dezembro, férias proporcionais, FGTS e outros encargos. Nélie Oliveira Perbeils deixou claro que não aceita a crise financeira vivida pelo Fogão como desculpa, contudo, ainda cabe recurso.

“A dificuldade financeira do clube réu não decorre de força maior, mas de sua própria administração, ou do modelo de administração adotado, que não é empresarial”, escreveu a juíza em sua sentença.

No recurso que será apresentado, o Botafogo impôs embargo de declaração e contestou a sentença por entender que a juíza foi omissa em alguns detalhes. Depois de defender o time na elite, Amaral, hoje com 32 anos, passou por Criciúma, Ceará e Mogi Mirim.

Fonte: FutNet