Um grupo de ilustres torcedores do Botafogo, capitaneados pelo ex-presidente Carlos Augusto Montenegro, está trabalhando no projeto de captação de investidores com base no relatório feito pela Ernst & Young a pedido dos irmãos Moreira Salles. A tradicional família, que já atua há anos no sistema financeiro, será o principal investidor, apesar de não admitir abertamente isso. A questão é que os torcedores ilustres, em conjunto com o presidente Nelson Mufarrej, entendem que não se deve basear o projeto em um único investidor, algo que também é o pensamento dos Moreira Salles.

A expectativa é que todo o plano esteja pronto na metade de outubro. Existe a expectativa de um aporte inicial de R$ 350 milhões somente para o pagamento de dívidas, o que reduziria praticamente pela metade o que o clube deve. Além disso, cerca de R$ 30 milhões seria usado para a busca de reforços, o que melhoraria as perspectivas de se ter um time competitivo em 2020.

Para conseguir isso, o Botafogo precisa basicamente de dois pontos. Que a CBF aprove o modelo de gestão proposto pelo clube, o que deve acontecer por existirem projetos similares, mas em menores proporções, no futebol brasileiro. Além disso, o Glorioso não pode ser rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro este ano. Atualmente o time aparece com 23 pontos conquistados, nove a mais que a Chapecoense, que abre a zona da degola.

Dentro de campo, o Botafogo volta a jogar somente no próximo domingo, quando recebe o Atlético-MG no Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ), pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. Para este compromisso, o técnico Eduardo barroca deve definir a escalação nos treinos desta quinta e desta sexta. O goleiro Gatito Fernández, servindo à seleção paraguaia em amistosos internacionais, é desfalque, com Diego Cavalieri assumindo o posto.

Fonte: Gazeta Esportiva