Os clubes grandes brasileiros tiveram perda de 22% na receita com arrecadação com patrocínio no ano passado. É o que se constata na análise dos balanços dos 14 times da Série com maiores receitas. Entre eles, 12 tiveram quedas em seus patrocínios, inclusive o Palmeiras dono da maior renda neste quesito no Brasil.

O levantamento feito pelo blog – incluindo apenas receitas de patrocínio sem considerar licenciamentos – mostra que houve uma arrecadação de R$ 471,5 milhões de reais no ano passado por esses 14 clubes. Em 2017, foram R$ 601,1 milhões, isto é, houve uma perda das R$ 129,6 milhões de renda com marcas parceiras dos clubes.

Pior, essa queda ocorreu ainda com a presença da Caixa Econômica Federal no mercado de futebol. No início de 2019, o governo federal determinou que o banco público não invista mais em marketing nos times. Clubes buscaram parceiros em bancos digitais com valores inferiores aos antigos, isto é, a tendência é a queda se acentuar na atual temporada.

Entre os clubes que tiveram perda de receita de patrocínio, estão Palmeiras, Corinthians, São Paulo, Santos, Grêmio, Flamengo, Vasco, Atlético-MG, Botafogo, Fluminense e Bahia. Ressalte-se que Santos e Flamengo tiveram reduções pequenas, abaixo de R$ 1 milhão. Tiveram aumento de arrecadação o Athletico, Cruzeiro o Internacional.

As maiores quedas nas receitas com parceiros foram no trio de ferro. O valor recebido pelo Palmeiras caiu de R$ 130,9 milhões para R$ 95,5 milhões. Isso se explica porque, após intervenção da Receita Federal, a patrocinadora parou de dar dinheiro em massa para contratações em formato de patrocínio. Agora, só ocorre com empréstimo.

Mas o Corinthians também teve uma perda de R$ 35 milhões já que ficou sem patrocinador master durante a temporada. E o São Paulo arrecadou menos da metade do que no ano anterior: recebeu R$ 23,3 milhões contra R$ 56,6 milhões em 2017. Veja abaixo o valor recebido por casa um:

Palmeiras: R$ 95,5 milhões

Flamengo: R$ 89,9 milhões

Corinthians: R$ 42,8 milhões

Internacional: R$ 35,2 milhões

Grêmio: R$ 34,3 milhões

Cruzeiro: R$ 32,5 milhões

Santos: R$ 27,2 milhões

Atlético-MG: R$ 26,6 milhões

São Paulo: R$ 23,3 milhões

Botafogo: R$ 17,6 milhões

Fluminense: R$ 13 milhões

Athletico: R$ 12,9 milhões

Vasco: R$ 11,2 milhões

Bahia: R$ 9,5 milhões

Fonte: Blog do Rodrigo Mattos - UOL