A torcida do Botafogo é, de longe, uma das mais supersticiosas do mundo e para quem gosta de se apegar em amuletos, o Glorioso ganhou um neste início de pré-temporada. Desde a última segunda-feira, quando o time alvinegro começou os treinos no Cefat, em Várzea das Moças, uma coruja marca presença no local. Para os místicos, o animal pode trazer sorte e sabedoria. O zagueiro Diego Giaretta, que retornou ao clube após passagem por General Severiano em 2009, afirma que os resultados não dependem de superstição, mas não vê problemas em acreditar em amuletos.

“A gente tem que se apegar e confiar no trabalho. Traz sabedoria ou sorte? Então se for para conspirar ao nosso favor, vamos acreditar, mas sem menosprezar o trabalho, porque isso é que vai nos ajudar dentro de campo e levar o Botafogo ao sucesso”

Já o volante Willian Arão, descarta por completo a crença em qualquer fator místico. O jogador afirma que não é supersticioso e o que vai levar o time às vitórias é o próprio desempenho.

“Não sou nem um pouco supersticioso. Acho que temos que trabalhar bem. Se isso acontecer, não é a coruja que vai colocar a bola para dentro (risos). Então acho que estamos fazendo nossa parte e vamos colher frutos lá na frente.”

Acreditando ou não na mística que envolve o mascote alvinegro na pré-temporada, a coruja segue marcando presença nos treinos do alvinegro. A primeira exibição do time em uma partida será no próximo sábado (17/01), quando enfrenta o Gonçalense em jogo-treino que será realizado no Cefat.

Fonte: Site da Rádio Tupi