Desde a chegada de Oswaldo de Oliveira, em janeiro de 2012, o Botafogo passou a jogar no sistema 4-2-3-1. A tática se manteve até a última partida, contra o São Paulo, na estreia do Brasileiro. A derrota no Morumbi, sob o comando de Vagner Mancini, no entanto, foi emblemática e gerou mudanças no Alvinegro. O novo treinador voltou a utilizar dois atacantes e deixou Lodeiro mais solto, sem tanta obrigação na marcação.

Vagner Mancini, por outro lado, pede paciência. Ele revelou que o time não foi preparado física e tecnicamente da forma como ele precisa para que o time tenha seu perfil. Para que isso ocorra, ele precisará de tempo de trabalho e vê a paralisação para a Copa do Mundo como o momento perfeito para que essas novas ideologias sejam colocadas em prática.

“Marcamos de longe [contra o São Paulo] e o futebol moderno não aceita. Tentei dar ênfase a isso nessa semana. Quero eles perto dos lances para roubar as bolas. Com o ataque mais leve, temos mais chance de usar essa velocidade e chegar com perigo. Esse time vai ter isso. Quero mudar a cara do Botafogo. Não será em uma ou três semanas. Leva tempo”, disse Vagner Mancini.

“O time não está no nível de treinamento ou não foi adequadamente treinado para a minha maneira de jogo. Teremos dificuldades, pois havia um outro treinador, outro preparador físico, com visão diferente da minha. Vamos usar esse período da Copa para adequar o que quero dentro de campo à parte física. Estou muito ansioso para esse período, para dar a força necessária, pois exijo essa ida e vinda dos atletas. Para isso, ele deve estar bem afiado fisicamente, senão não consegue”, completou o treinador.

Vagner Mancini explicou o que pretende com a mudança tática realizada. Ele diz que não estava satisfeito com o que time podia fazer ofensivamente e com o novo esquema é alguns jogadores terão mais liberdade, casos de Emerson Sheik, Zeballos e Lodeiro. Já Jorge Wagner, por exemplo, atuará mais recuado, como um terceiro volante.

“A mudança tática eh pensando exatamente na parte ofensiva. Com dois atacantes moveis, tenho que ter um meia que abasteça e seja um terceiro atacante. Lodeiro estava jogando muito pelo lado, distante do gol. Tenho que ter outro jogador de centro que chegasse na área. O Jorge Wagner vhuta bem de longe, mas faz o que necessito. Preciso do Lodeiro jogando assim”, afirmou.

Entre tantas novidades, os jogadores podem ter uma certeza. Não existe mais vaga cativa no Botafogo. O ‘time Libertadores’ foi desfeito e terão que mostrar serviço para recuperar a vaga. Tanque Ferreyra, Wallyson e Edílson foram parar no banco e Vanger Mancini explica as alterações.

“Faço alterações no time titular quase toda a semana. Porque o que arrebenta em um time é essa zona de conforto. Comando treinamentos  para que todos possam mostrar serviço. Qualquer um deles poderão voltar ao time titular”, concluiu.

A partida contra o Internacional neste domingo é vista com vital importância para o Botafogo, que já estreou com derrota por 3 a 0 para o São Paulo, no Campeonato Brasileiro.

Fonte: UOL