A situação do Botafogo continua delicada. Sem qualquer prognóstico em relação ao pagamento de salários atrasados, os jogadores seguem sem dar entrevistas e o clima é de insatisfação. Segundo o site Globoesporte.com, uma das apostas para obter novas receitas está no marketing. Outra é a venda de jogadores.

Sem o patrocínio da Caixa Econômica desde o início de 2019, o Botafogo busca uma empresa para estampar o master. No sétimo mês do ano, as negociações ainda são rasas e pioraram com o período sem jogos por conta da Copa América. Agora, o diretor de marketing do clube, João Vieira, espera retomar as conversas e busca uma solução rápida.

– O período da Copa América atrasou o fechamento de algumas negociações de patrocínio que estavam acontecendo, porque patrocinadores não querem investir e ficar cerca de um mês sem exposição por conta do torneio e da parada do Brasileiro. Agora, essas negociações foram retomadas e vamos avançar – afirmou Vieira.

João Vieira admite que o departamento “precisa ser mais criativo para gerar novas receitas e conquistar espaços qualificados na mídia”. Espaços esses que o clube perdeu com o silêncio dos jogadores nos últimos dias. Outra consequência do protesto está na insatisfação de patrocinadores que não têm sua marca exposta.

– Temos valores a receber de diversas fontes. Estamos trabalhando para fechar patrocínio master. Vamos gerar novas receitas com patrocinadores, ampliar venda de camisas com novo fornecedor de material esportivo, aumentar receita gerada pela TV Botafogo, ampliar leque de produtos licenciados que geram royalties, fazer shows no estádio Nílton Santos… – projetou Vieira.

Fonte: Globoesporte.com