Gabriel se reapresentou no Atlético-MG ontem (8) e deu uma ducha de água fria no torcedor do Botafogo que ainda tinha a esperança de manter o zagueiro no Rio de Janeiro em 2020. Apesar disso, o time carioca ainda não desistiu de contar com o defensor e vai utilizar a mesma tática que assegurou a segunda passagem de Erik pelo Glorioso.

Para quem não se lembra, Erik teve grande desempenho em 2018, e o Palmeiras optou pelo seu retorno. O Botafogo sabia do interesse do atleta em ficar e tentou de tudo, mas o Alviverde estava irredutível. O problema é que Felipão seguiu sem dar chances, o que gerou insatisfação geral. O atacante forçou e conseguiu voltar ao Alvinegro.

Com Gabriel a história é muito parecida. Um dos principais jogadores de 2019, ele viu o Atlético-MG solicitar seu retorno, mesmo com o desejo do atleta de seguir no Rio de Janeiro. Ele até mesmo se recusou a assinar rescisão contratual em duas oportunidades para dar mais tempo aos cariocas. De nada adiantou. O dia da reapresentação chegou e ele teve que treinar no Galo.

O Botafogo segue interessado e busca os R$ 13 milhões pedidos pelo Atlético-MG. No momento não há dinheiro, mas o clube espera propostas por alguns atletas. Além disso, uma possível negociação de Matheus Fernandes, do Palmeiras, com o Barcelona poderia render uma boa grana ao Alvinegro, que detém porcentagem dos direitos econômicos.

O Alvinegro trabalha em silêncio nesse caso. Há o desejo e a possibilidade de se conseguir o dinheiro. Nesse caso, bastará Gabriel seguir interessado em defender o Botafogo para que o acordo saia sem maiores problemas.

Assim como foi na situação com Erik, o Botafogo terá que ter paciência. Caso consiga o retorno do atleta é bem provável que a bola já esteja rolando pelo Campeonato Carioca.

Fonte: UOL