A vitória do Vasco sobre o Botafogo, por 1 a 0, neste sábado (14), ficou marcada por polêmica. O clube de General Severiano reclama de dois lances cruciais na partida, acontecidos praticamente na mesma jogada. Aos 22 minutos do segundo tempo, Rodrigo Pimpão tentou driblar Madson e a bola tocou no braço do lateral vascaíno. Na sequência, Nenê marcou o gol único do clássico em chute de fora da área, em outro lance polêmico em que os botafoguenses pediram outro toque de mão.

O fato é que o árbitro Vinicius Gonçalves Dias Araujo não atendeu os pedidos de pênalti dos jogadores do Botafogo e nem considerou que a bola bateu no braço de Nenê. As decisões foram muito questionadas no lado botafoguense. Após o jogo, o volante Bruno Silva não poupou o juiz e falou em covardia.

 

“Dois pênaltis. Bola na mão na área não é pênalti? Ele foi covarde e deixou a desejar. Ele prejudicou a gente hoje. Não pode colocar um juiz fraco desse”, disse.

 

O segundo suposto pênalti reclamado por Bruno Silva foi em um lance envolvendo o lateral Ramon, do Vasco. Nesta jogada, porém, a bola não tocou no braço do jogador vascaíno.

Com o resultado, o Botafogo estacionou nos 43 pontos e se manteve na sexta colocação do Campeonato Brasileiro. Na próxima rodada, o time alvinegro visita o Avaí, na Ressacada, às 21h45 (de Brasília), na quarta-feira (18).

Fonte: Esporte Interativo