O atacante Caio Canedo concedeu uma entrevista exclusiva para a reportagem do Torcedores.com. Atualmente no Al Wasl, dos Emirados Árabes Unidos, o jogador explicou se pensa em retornar ao futebol brasileiro em 2018.

“Eu estou aqui no futebol árabe desde 2014, meu pensamento atual não é voltar para o Brasil ainda e até porque eu tenho contrato aqui ainda são três anos a mais de contrato e me encontro muito feliz aqui emocionalmente, financeiramente. Minha família depende muito de mim, estou casado e tenho esposa e no momento eu não penso em voltar, mas quem sabe né, futuro a Deus pertence e eu não procuro fechar nenhuma das portas nacionalmente e internacionalmente e procuro não fechar nada. Eu já recebi algumas propostas sim de alguns clubes brasileiros, tudo pelo meu empresário, mas como eu disse meu foco total é aqui nos Emirados e eu deixo para ele (fazer) esse serviço e ele me deixa bem ciente disso, que eu tenho que ficar focado aqui para eu fazer uma boa temporada e meu pensamento no momento é esse“, diz o jogador.

No período em que esteve no Botafogo, o atleta ficou conhecido pela torcida como talismã por entrar no decorrer da partida e, na maioria dos confrontos, ser decisivo para o time alvinegro. Caio relembrou os clubes em que atuou em sua carreira, mas em destaque falou sobre o momento em que passou pelo Glorioso.

“No Botafogo, eu realmente me destaquei teve a época do Caio, do Herrera, do Loco Abreu, ai no Campeonato Carioca de 2010, no qual, eu fiz muitos gols mesmo jogando na reserva entrava e conseguia fazer gols importantes e marcantes. No Internacional também eu comecei muito bem, fazendo gols, assistências, mas tive uma lesão e acabou me atrapalhando um pouco. No Vitória eu fui muito bem recebido pela torcida, no Figueirense eu estava entre os três artilheiros e com nove gols no elenco e acabei tendo outra lesão e acabou me atrapalhando um pouco, mas todos os clubes eu consegui fazer gols, eu consegui aparecer bem e ajudar as equipes e talvez, o que me marcou mais tenha sido o Botafogo porque foi o clube que fiquei mais tempo e foram dois anos, mais um ano de base. Então é sempre marcante jogar em um Maracanã lotado, conquistar títulos em cima de seu rival, o Flamengo, Taça Guanabara em cima do Vasco, talvez o Botafogo marcou porque fiquei bastante tempo lá“, completou.

Mesmo nos Emirados Árabes Unidos, Caio falou como acompanha o futebol brasileiro e sempre que pode procura jogar o Cartola FC: “Mesmo jogando aqui, eu sou apaixonado por futebol e jogo Cartola direto então eu tenho, que ficar ligado em todos os jogos. Eu tenho um aparelho aqui, que passa todos os jogos do Campeonato Brasileiro, eu gosto de futebol, eu vivo futebol é isso aí, eu sou um apaixonado e acompanho todos os jogos. A gente vê, o Campeonato Brasileiro muito nivelado e um dos mais difíceis que tem no mundo“, destacou.

Com mais três anos de contrato pelo Al Wasl, Caio revelou como foi sua adaptação nos Emirados Árabes. Com mais de 50 partida e 50 gols marcados, o atacante quer manter esse ritmo para ajudar seu time nas competições em que disputa.

“Já passei de 50 partidas, já passei de 50 gols também e eu nunca tive problemas de adaptação até porque eu fui morar fora do país quando eu era pequeno e consegui aprender o inglês fluente e nunca tive dificuldades. Os árabes são bem legais, nosso time é bem tranquilo uma rapaziada jovem, então eu não tive nenhum problema de adaptação no país, no clube“, concluiu.

Fonte: Torcedores.com