O LANCE! segue com a retrospectiva 2018 com o zagueiro Carli. A presença do defensor foi simbólica no Botafogo de 2018, principalmente no primeiro semestre. Quando Alberto Valentim assumiu o comando da equipe, tentou fazer o argentino, que assumidamente não é dos jogadores mais velozes, ser reserva. Mas a pressão pelo fraco rendimento defensivo do Glorioso no período – com derrota por 3 a 0 para o Fluminense, inclusive – culminou no retorno do xerife na partida contra o Flamengo que classificou o Glorioso à final do Campeonato Carioca.

A retaguarda passou zerada naquela partida. E coube ao antes renegado jogador o gol que levou a decisão do título para as penalidades. O resultado já se sabe e aquele feito foi grande passo para o defensor se tornar ídolo da torcida.

Como já havia acontecido nos dois últimos anos, o zagueiro se consolidou novamente como um dos pilares da defesa alvinegra, embora sem o protagonismo de outrora, que coube a Igor Rabello. Mesmo assim, os 100 jogos pelo clube, completados em agosto, foram homenageados.Na reta final da temporada, a rotina de cartões amarelos se intensificou e a fase técnica caiu. No último jogo em casa, ele deixou a partida com lesões múltiplas, mas já está recuperado e treinando nas férias para o ano que vem.

Carli entrou em campo pelo Botafogo neste ano em 39 partidas, fazendo no período dois gols. Na temporada que vem por aí, o zagueiro terá de provar, mais uma vez, que a pouca velocidade não compromete sua importância para a equipe. Em 2016, 2017 e 2018 ele superou a desconfiança do torcedor.

O ANO DE CARLI

SOBE – HERÓI
O argentino Joel Carli já era querido pela torcida e deu mais um passo rumo à idolatria ao marcar o gol que levou a decisão do título do Cmapeonato Carioca desta temporada para os pênaltis. Aquele lance foi já nos acréscimos do segundo tempo e deu alegrias aos alvinegros.

DESCE – DECLÍNIO
A idade de Joel Carli (32 anos) parece começar a pesar para o zagueiro. O rendimento do jogador caiu no segundo semestre desta temporada na disputa do Campeonato Brasileiro, tanto que coube a Igor Rabello, mais jovem, comandar a zaga durante longo período nos jogos do time.

Fonte: Terra